investigação

Os 4 E´s no canal online de produtos vinícolas
estudo, investigação, opinião

Os 4 E´s no canal online de produtos vinícolas

O canal online é o presente e o futuro do comércio. O setor vitivinícola está a desenvolver uma dinâmica de mercado muito interessante neste canal. Em Portugal, os números indicam um crescimento na adesão à venda online das empresas de 90% e um aumento de 25% na recorrência de vendas online, o que significa que em média cada português realiza 20 compras online por ano (SAPO, 2021). Apesar de ser ainda um valor reduzido, cerca de 19% dos portugueses com idades compreendidas entre os 16 e os 74 anos realizaram compras online em produtos alimentares ou bebidas (INE, 2020). No que diz respeito aos consumidores online de vinhos, os números indicaram que em 2020 a percentagem de consumidores que compraram vinho online foi de 7%, sendo que em 2019 apontavam 5% (Martins, 2021). No ano 2017...
Gastronomia, investigação, projeto

“Receitas que Contam Histórias” – O projeto que preserva a gastronomia do território

“Receitas que Contam Histórias – Gastronomia e Vinhos das Aldeias Históricas de Portugal” é mais um ambicioso projeto da Associação das Aldeias Históricas de Portugal. Em curso desde junho, começou com a recolha de testemunhos junto da população residente, com o objetivo de identificar as receitas que são a essência do território. Uma extraordinária inventariação de conhecimentos ancestrais, saberes tradicionais e técnicas artesanais que agora vai ser perpetuada, mas também promovida junto do sector da restauração e hotelaria local (com harmonização de vinhos da região), de modo a reforçar as Aldeias Históricas de Portugal como um destino turístico verdadeiramente singular e excecional. As Aldeias Históricas de Portugal são muito mais do que o seu extraordinário património edif...
inovação, investigação, projeto

Conservante natural sem toxicidade para vinhos vence distinção Born from Knowledge

O ChestWine, desenvolvido por uma equipa de investigadores do Instituto Politécnico de Bragança, é o vencedor da distinção Born from Knowledge (BfK), atribuída pela Agência Nacional de Inovação (ANI), no âmbito do Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola (PEICA). Entrega do prémio projeto ChestWine - Foto revista Agricultura e Mar O projeto, que acumulou o BfK com o PEICA na categoria “Produção, Transformação e Comercialização”, utiliza a flor de castanheiro como conservante natural isento de toxicidade para o vinho, criando uma alternativa aos sulfitos adicionados e proporcionando ao consumidor um vinho biodinâmico, diferenciado, seguro e portador de propriedades bioativas. A ANI considerou o ChestWine como o melhor candidato de base científica e tecnológica a concu...
Alvarinho, investigação, sustentabilidade

Soalheiro cria Núcleo de Investigação e Desenvolvimento

O objetivo do Soalheiro é apostar no desenvolvimento de novos produtos e novos processos, em torno da casta Alvarinho e do terroir de excelência onde estão inseridos, privilegiando a qualidade e a sustentabilidade social, económica e ambiental. Abrindo mais uma porta no caminho da inovação e da irreverência com consistência que a primeira marca de Alvarinho de Melgaço tem demonstrado, o Soalheiro implementou um Núcleo de Investigação e Desenvolvimento. O objetivo é apostar no desenvolvimento de novos produtos e novos processos, em torno do Vinho Verde, em especial da casta Alvarinho e do terroir de excelência onde estão inseridos, privilegiando a qualidade e a sustentabilidade social, económica e ambiental. Para os produtores “sair da zona de conforto é o que nos permit...
clima, investigação, projeto

Sogrape lidera resposta às alterações climáticas

Ciente do impacto das alterações climáticas no setor vitivinícola, a Sogrape investe desde há mais de 10 anos em projetos de Investigação e Desenvolvimento pioneiros, que lhe permitem antecipar as circunstâncias que mais afetam a sua atividade e integrar medidas de adaptação às novas circunstâncias globais. Práticas sustentáveis e uma postura em linha com as ameaças do clima fazem parte da estratégia do maior produtor nacional. Conhecer para antecipar tem sido o foco da estratégia da Sogrape para fazer face aos desafios impostos ao setor vitivinícola em virtude das alterações climáticas que já se fazem sentir. A desregulação das estações do ano – responsável por invernos demasiado quentes ou verões muito chuvosos – tornou evidente a inevitabilidade da adaptação do setor à nova real...
distinção, investigação, prémios

Investigação & Desenvolvimento Sogrape distinguida nos Prémios CNOIV 2018

A aposta da Sogrape em Investigação & Desenvolvimento foi reconhecida no âmbito dos Prémios CNOIV, que distinguem os melhores trabalhos nacionais de divulgação, experimentação ou investigação nos domínios da viticultura, enologia, economia e direito e nutrição e saúde. O prémio na categoria “Economia e Direito” foi atribuído à Sogrape pelo trabalho “Using sustainable development actions to promote the relevance of mountain wines in export markets”, o qual se focou na análise do ciclo de vida de um vinho tinto de «terroir» produzido no Douro Superior, permitindo testar várias metodologias para calcular indicadores de impacto ambiental como a pegada de carbono, a pegada hídrica, a eficiência energética, a intensidade de uso de materiais e a geração de resíduos. Ao nível dos pilares so...
investigação, UTAD, vinho

Nova categoria de vinho “única no mundo” tem origem em investigação desenvolvida na UTAD

O Pinking teve origem num trabalho de investigação de mestrado em Enologia, tem pedido de patente registada e vai ser lançado pela Adega Cooperativa de Figueira de Castelo Rodrigo a 7 de julho.O que se pensou inicialmente ser um “defeito” de produção, afinal deu origem a uma “nova categoria de vinho única no mundo”. Quem afirma é Jenny Silva, enóloga da Adega Cooperativa de Figueira de Castelo Rodrigo que, em 2014, como estudante de mestrado de Enologia na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), identificou o fenómeno Pinking em conjunto com Fernando Nunes e Fernanda Cosme, docentes e investigadores do Centro de Química da UTAD. Identificada a origem deste fenómeno, este tem já um pedido de patente nacional e internacional.Pinking, “defeito” historicamente conhecido pelo proces...
estudo, investigação, mercado

Sector dos vinhos em Portugal está pouco orientado para o mercado

O sector dos vinhos em Portugal está «pouco orientado para o mercado» e desconhece as preferências do consumidor, o que o torna mais «vulnerável às investidas» de vinhos estrangeiros, conclui o estudo de um investigador português.Apresentada na semana passada na Faculdade de Economia da Universidade do Porto, a tese de doutoramento de Paulo Matos Graça Ramos – docente da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Fernando Pessoa – defende que a competitividade do sector nacional dos vinhos depende do investimento num maior conhecimento do mercado e dos gostos dos consumidores.De acordo com as conclusões do trabalho, esta «ineficiência» na orientação para o mercado deixa o mercado nacional de vinhos muito mais «permeável às investidas» comerciais vindas do exterior, sendo disso...
estudo, investigação

Quanto mais difícil de pronunciar o nome de um vinho melhor ele sabe

Estudo revela que quanto mais difícil de pronunciar o nome do vinho, melhor ele sabe ! De acordo com a investigação levada a cabo por Antonia Mantonakis, professora de marketing na Brock University, St. Catharines (Canadá), quando o mesmo vinho é apresentado no mesmo copo, no mesmo ambiente, mas sob 2 nomes diferentes, os consumidores tendem a avaliar de forma mais positiva, o que tem o nome mais difícil de pronunciar.Neste estudo, Antonia Mantonakis utilizou 1 vinho que foi apresentado a um grupo de teste, com dois nomes gregos, Titakis e Tselepou. Este grupo provou os vinhos em questão (que era rigorosamente o mesmo) e no final apontaram o Tselepou (mais difícil de pronunciar, ainda por cima no Canadá), como o que foi mais agradável ao paladar.Esta investigadora forneceu também um questi...
espanha, investigação, vinha

Espanhóis desenvolvem software de reconhecimento de vinhas

Investigadores espanhóis desenvolveram um software que consegue identificar a cultura da vinha através de imagens de satélite, possibilitando os cientistas a calcular a potencial produção de vinho de determinada área.Até aqui, a área de vinha era determinada através de fotografias tiradas por fotografias.Os investigadores das universidades de Léon e Santiago de Compostela já revelaram que o novo sistema foi testado com sucesso em El Bierzo na área de León.O software aplica uma série de algoritmos para analisar as fotografias pixel a pixel, identificando os diferentes tipos de solo, de vinhas a estradas, passando por floresta e terras cultivadas.O software também é capaz de diferenciar três tipos de vinhas: plantadas recentemente, as que se encontram numa densidade de menos de 35% e as que ...