Sexta-feira, Dezembro 2Bem vindo(a) #winelover 😀

Nova rolha Neutrocork Xpür da Corticeira Amorim contribui para a mitigação das alterações climáticas

As rolhas de cortiça são um recurso inerentemente sustentável, têm um impacto positivo na descarbonização da indústria vitivinícola e, portanto, têm um impacto na mitigação das alterações climáticas. 

Os resultados, decorrentes de um estudo conduzido pela consultora PriceWaterhouseCoopers, comprovam que a rolha microgranulada produzida com Xpür, a tecnologia anti-TCA mais inovadora, eficiente e ecológica do mundo para este tipo de rolhas utilizadas em vinhos de mais rápida rotação, tem uma pegada de carbono, considerando o carbono armazenado nesta rolha, de – 3.542g CO2 e/rolha sob uma abordagem cradle-to-gate.

Nova rolha Neutrocork Xpür da Corticeira Amorim contribui para a mitigação das alterações climáticas

Ao considerar o transporte para o Reino Unido, a pegada de carbono é – 2.086g CO2 e/rolha. Os resultados são ainda mais positivos incluindo o sequestro de carbono na floresta de sobro, correspondendo a um balanço de carbono – 393g CO2 e/rolha considerando o transporte para o Reino Unido.

Utilizada, então, no tratamento das rolhas técnicas Neutrocork Xpür e QORK – esta última empregando um ligante inovador, feito exclusivamente com polióis de origem vegetal – a tecnologia Xpür aprimora a aplicação convencional desenvolvida há várias décadas de CO2 supercrítico, atualizando, reformulando e reestruturando o conceito com tecnologia do século XXI. A revolucionária abordagem da Corticeira Amorim utiliza apenas 25% da energia e somente 10% do CO2 anteriormente necessários.

Além disso, Xpür consegue resultados de níveis de redução de TCA para 0,3 nanogramas por litro (ng / L) * em rolhas microgranuladas tratadas, deixando intactas as propriedades físico-mecânicas da cortiça. Consequentemente, a gama de rolhas microgranuladas da Corticeira Amorim apresenta a maior percentagem de cortiça no mercado. Portfólio esse que dispensa, ao mesmo tempo, soluções químicas adicionais para manter as propriedades naturais da cortiça, nomeadamente as importantíssimas taxas de compressibilidade e expansão.

Sublinhe-se, ainda, que os resultados, para além de fornecerem dados relevantes sobre a contribuição ambiental dos produtos de cortiça, facultam aos cerca de 19 000 clientes nacionais e internacionais de Amorim Cork, Unidade de Rolhas da Corticeira Amorim, informação quantificável sobre como reduzir a própria pegada de carbono dos seus produtos.

LEIA TAMBÉM:  Adega de Monção tem Lata, de Portugal à Escandinávia

O estudo debruçou-se sobre as diferentes etapas do ciclo de vida numa abordagem cradle-to-gate, nomeadamente: atividades florestais; preparação de cortiça, incluindo o transporte da floresta; produção; e acabamento e embalagem. Tendo como objetivo a comparação com abordagens de estudos anteriores, também foi incluída a distribuição do produto de Portugal para o Reino Unido. A avaliação incluiu ainda informações adicionais sobre o sequestro de carbono da floresta de sobreiro.

A pegada de carbono foi desenvolvida de acordo com as diretrizes da Greenhouse Gas Protocol (GHG), desenvolvido pelo World Business Council for Sustainable Development e o Development and the World Resources Institute e baseia-se na análise do ciclo de vida (LCA), tendo por base as normas ISO 14040.

O estudo foi ainda suportado por dados da Amorim Cork, fontes bibliográficas, base de dados Ecobilan LCA e software de análise TEAM ®.