Terça-feira, Outubro 4Bem vindo(a) #winelover 😀

Sandra Tavares da Silva é a melhor enóloga de 2021

A revista Grandes Escolhas distinguiu Sandra Tavares da Silva, como a melhor enóloga de 2021. Na gala dos prémios “Melhores do Ano”, a Wine & Soul também foi considerada a Empresa de Vinhos Generosos do ano 2021 e o Quinta da Manoella VV Douro Tinto 2018 foi premiado como o melhor vinho tinto de 2021.

Para a publicação, Sandra Tavares da Silva é uma referência no sector vínico em Portugal, sendo também reconhecida internacionalmente pela arte e sabedoria com que produz “alguns dos mais aclamados vinhos do Douro (Wine & Soul) e de Lisboa (Quinta de Chocapalha). Versátil e trabalhadora, decidida e perseverante, metódica e criativa”, a enóloga é responsável por 3 dos vinhos incluídos no top30 de 2021 da revista Vinho Grandes Escolhas – CH By Chocapalha Touriga Nacional Regional Lisboa Tinto 2018, Pintas Porto Vintage 2019 e o Quinta da Manoella VV Douro Tinto 2018.

Sandra Tavares da Silva é a melhor enóloga de 2021
Sandra Tavares da Silva é a melhor enóloga de 2021

Além deste prémio, a Wine & Soul, projecto vínico que Sandra Tavares da Silva partilha com o marido Jorge Serôdio Borges, foi considerada a Empresa de Vinhos Generosos de 2021. Ao longo das duas últimas décadas, o casal de enólogos conseguiu posicionar os vinhos do Porto que produz, de igual para igual, com as marcas mais antigas e conceituadas.

Por fim, o Quinta da Manoella VV Douro Tinto 2018 foi considerado o melhor vinho tinto de 2021. Oriundo de uma vinha com mais de 100 anos e que possui cerca de 30 castas indígenas do Douro, este vinho é extremamente elegante e aveludado, revelando notas suaves de cereja. Na boca, mostra fruta pura e fresca e boa textura mineral. Os taninos são refinados e o seu final de boca é muito longo e sofisticado.

LEIA TAMBÉM:  CARM dá voz a quem diariamente trabalha os vinhos

As uvas que dão origem ao Quinta da Manoella VV Douro Tinto 2018 são devidamente selecionadas e desengaçadas, acabando depois por fermentar em lagar com pisa a pé durante 10 dias. O seu estágio e fermentação malolática decorrem em barricas de carvalho francês, durante 20 meses.