Alvarinho Lançamentos vinhos

Soalheiro Alvarinho Clássico – Num ano de incertezas, a certeza de sempre

No Soalheiro, a crença de que “é preciso falar com as videiras todos os dias” traduz o carinho que os produtores lhes dedicam durante todo o ano. É e foi sempre assim, desde a primeira garrafa produzida pela família, há 40 anos, e que, hoje, já conta com a contribuição de dezenas de famílias de viticultores espalhadas pelo território. Falamos do Soalheiro Alvarinho Clássico que, depois de ter sido o primeiro vinho da marca a adotar a garrafa sustentável, é também o primeiro do seu portefólio a incorporar a certificação vegan.

2021 traduziu um ano de incerteza na vinha, com desafios que obrigaram os viticultores a um cuidado especial e adaptado às condições de cada momento de um ano que para a viticultura foi sempre imprevisível.

Ainda assim, as mais de 150 famílias de produtores locais que trabalham lado a lado com o Soalheiro, apesar das condições irregulares a que foram sujeitos, basearam-se num conhecimento profundo  do lugar e do tempo que passa de geração em geração para, neste ano difícil, conseguirem uvas com características singulares como o ano que as viu nascer, com a qualidade de sempre, dando origem a uma colheita mais fresca e ideal para trabalhar na adega uma característica cada vez mais valorizada pelo Soalheiro: a precisão.

Os vinhos do Soalheiro têm como objetivo primordial refletir o Território de onde nascem e as características únicas de cada ano, mantendo a consistência e a identidade, sendo o exemplo paradigmático disso o Soalheiro Clássico: não muda, reinventa-se.

Soalheiro Alvarinho Clássico - Num ano de incertezas, a certeza de sempre
Soalheiro Alvarinho Clássico – Num ano de incertezas, a certeza de sempre

Um vinho intemporal que é o porta-estandarte da veia inovadora do Soalheiro, sendo que este carácter reflete-se também no compromisso para com a sustentabilidade: depois de no ano passado ter estreado a garrafa de design eco-eficiente que entretanto se alargou a quase todas as outras referências, este ano é o primeiro vinho da marca a receber a certificação vegan.

Apesar de já o ser há muitos anos, este reconhecimento vem estimular a organização de procedimentos internos, refletindo-os externamente e, ao mesmo tempo, assegurar a confiança do consumidor. Reforçando o seu posicionamento como um vinho mais inclusivo e totalmente adaptado às exigências dos mais diversos perfis de consumidor, este reconhecimento soma-se às certificações já detidas pela marca, nomeadamente em investigação e desenvolvimento, ambiental, entre outras.

Para Luís Cerdeira, gestor e enólogo do Soalheiro,a sustentabilidade e a conservação da essência dos processos de produção é parte da nossa natureza, resultado do nosso respeito pelo Território e por aquilo que ele nos oferece. Abraçámos já a certificação biológica das nossas vinhas, o que nos permitiu, também, aumentar o conhecimento e a biodiversidade nas parcelas. A certificação ambiental é reflexo do desenvolvimento de uma consciência coletiva de toda a nossa equipa. E a certificação vegan vem, agora, atestar aquilo que temos vindo a cumprir, desde há vários anos, e que reforça o caráter do Soalheiro como marca que aposta no conhecimento para promover a inovação e a inclusão”.

É das parcelas do vale que nasce o Soalheiro Clássico, sempre fiel às suas caraterísticas intemporais, como a frescura aromática, a intensidade gustativa e o invulgar e notável potencial de evolução em garrafa, sendo 2021 uma colheita particularmente fresca e de uma precisão singular.

Resultado de uvas vindimadas à mão, é após a prensagem e antes da fermentação que o mosto deste vinho é clarificado a baixa temperatura. Fermenta, assim, em inox e estagia em contacto com as borras finas, que antecedem o seu engarrafamento.

Com uma vinificação orientada para a obtenção de um vinho que realça a qualidade das uvas, a sua cor amarelo-limão brilhante é elegante e incorpora intensas notas tropicais e minerais, que albergam, em perfeito equilíbrio, a sua acidez vibrante e moderado teor alcoólico. Isto porque as condições do terroir de Monção e Melgaço são privilegiadas e inimitáveis: esta sub-região, a mais a norte de Portugal, está protegida por montanhas que proporcionam condições em que a chuva, a temperatura e o número de horas de sol são os mais adequados para a melhor maturação da casta Alvarinho.

Luís Cerdeira afirma que é fundamental continuar a trabalhar o perfil diferenciador do Alvarinho e, no Soalheiro, temos procurado fazê-lo com foco na consistência e na inovação, tentando traduzir em cada vinho o respeito pelo trabalho dos viticultores e pelo território, reconhecendo nas certificações um motor de melhoria contínua na empresa e de transparência para o consumidor.

A elegância deste Clássico permite-lhe ser um aperitivo perfeito ou a companhia mais desejada para mariscos, peixe grelhado, carne branca, queijo curado, carne fumada, bem como pratos de cozinha asiática e mediterrânica.