inovação projeto Vinhos do Tejo

Quinta da Alorna lança projeto “Wine Creations”

O lançamento do projeto “Wine Creations” vai permitir a criação de vinhos autênticos que serão lançados ainda este ano. O produtor da região Tejo registou um aumento de produção de cerca de 15%.

Esta foi uma vindima bastante especial para a Quinta da Alorna. Para além de um aumento de produção de cerca de 15%, a marca de vinhos da Região do Tejo lançou a “Wine Creations”, um projeto cujo objetivo é criar vinhos exclusivos e autênticos, fruto de muitos ensaios, criatividade, conhecimento e experiência.

A “Wine Creations” é um centro de vinificação que alia a tradição à inovação e que foi desenhado ao longo de vários anos.

Quinta da Alorna lança projeto "Wine Creations"
Quinta da Alorna lança projeto “Wine Creations”

É neste espaço que as uvas criteriosamente selecionadas na vinha são trabalhadas recorrendo a um equipamento de monitorização que prevê a data ideal de colheita, avaliando o potencial da fruta e adaptando antecipadamente protocolos técnicos.

Com o auxílio de equipamentos enológicos adequados a microvinificações, as uvas seguem o seu percurso com o mínimo de intervenção, preservando a expressão máxima da vinha até ao momento de prensagem em prensa tradicional.

A “Wine Creations” pretende assim potenciar as particularidades dos vinhos icónicos da Quinta da Alorna com especial destaque aqueles que resultam de parcelas únicas de calhau rolado e que serão apresentados brevemente.

O ano de estreia da Wine Creations não podia ter sido mais positivo uma vez que este foi um ano de qualidade quer nos brancos, quer nos tintos. A elegância nos tintos é algo que nos move e este ano não poderia ter sido melhor. As condições climatéricas na altura da maturação das uvas eram excelentes e, por esse motivo, este ano teremos vinhos tintos com aromas muito finos e bocas harmoniosas”, refere Martta Reis Simões, enóloga da Quinta da Alorna.

O ano foi também muito positivo em termos de produção, tendo sido registado um crescimento de cerca de 15%. A produção de uvas para vinhos tintos cresceu cerca de 30% e o aumento nas uvas para vinho branco foi de 5%, fruto das temperaturas amenas registadas ao longo do ano.

Em termos de castas, o destaque vai para o Viognier e o Fernão Pires nos vinhos brancos, sendo que esta última dará origem a um monocasta que será anunciado em breve. Nos tintos a casta mais reveladora é Syrah, que constitui grande parte do lote do Quinta da Alorna Colheita, à venda na generalidade dos supermercados.