azeite trás os montes

Acushla – O azeite biológico português que coleciona medalhas pelo mundo

Insígnia exporta neste momento 90% da produção. Quinta do Prado é o “berço” do Acushla e uma das maiores áreas de olivicultura em modo de produção biológica de Portugal, com cerca de 70 mil oliveiras. Falcões, mochos, corujas e ovelhas ajudam agricultura biodinâmica da empresa.

A paixão deu origem, em 2004, à primeira batida de coração, ou, na língua celta… Acushla. E a visão – de produzir um dos melhores azeites do mundo em total respeito pelo meio ambiente – fez-se realidade em poucos anos. Da terra e das oliveiras transmontanas para os pratos de meio mundo, o Acushla é uma marca de azeite biológico português de Denominação de Origem Protegida (DOP) que, gota a gota, está a conquistar o palato dos mais reputados especialistas mundiais em eventos internacionais.

Suíça, Itália, Japão, China, Estados Unidos da América, Reino Unido, Grécia, Israel, Argentina, Dubai, Brasil, França, Alemanha, Canadá, Espanha e Portugal já distinguiram o azeite virgem extra da insígnia, nos principais eventos de referência do setor.

Acushla – O azeite biológico português que coleciona medalhas pelo mundo

Nos últimos quatro anos, a marca ganhou, nos principais concursos de azeite internacionais, mais de 50 medalhas e distinções (acima de 100 galardões em 15 anos). De ouro, acima de tudo, mas também de prata e bronze. Tudo graças às variedades de oliveiras autóctones de Trás-os-Montes e Alto Douro – cobrançosa, madural, verdeal e cordovil –, que cobrem os 300 hectares da Quinta do Prado, em Vila Flor.

Em Portugal, são vários os restaurantes distinguidos com as reputadas estrelas Michelin a usar o azeite Acushla na preparação das suas ementas diárias.

Azeite Acushla
Azeite Acushla

«O lagar Acushla transformou no último ano cerca de 600 mil quilos de azeitona em 87 mil litros de azeite. Estamos a exportar neste momento 90% da nossa produção para França, Alemanha, Suíça, Polónia, Hungria, Croácia, Suécia, Inglaterra, Holanda, Canadá, Brasil e Estados Unidos da América, entre outros.  Um dos nossos principais objetivos para este ano é o crescimento no mercado nacional, posicionando a marca nos restaurantes de referência e em lojas biológicas, sustentáveis e gourmet, de norte a sul do País», revela Joaquim Moreira, o empresário têxtil que fez do olival a sua paixão.

A Quinta do Prado é uma das maiores áreas de olivicultura de Portugal em modo de produção biológico, com 70 mil oliveiras plantadas numa só exploração.

Com um nível percentual de acidez de 0,1, o Acushla é um azeite biológico requintado, dedicado a um consumidor contemporâneo que procura padrões de excelência à mesa.

Frutado e medianamente verde, é fresco e tem notas marcadas de casca de amêndoa verde, maçã, com notas de erva e giesta, além de ligeiramente amargo, picante e com um final de boca bastante persistente a frutos secos.

Primeiro lagar português com certificação FSSC 22000

Indicado para servir à mesa, mas também para a confeção de pratos com chancela gourmet, o azeite biológico virgem extra Acushla é muito recomendável do ponto de vista nutricional e medicinal, dado o elevado teor de polifenóis antioxidantes presentes, tão importantes na prevenção de doenças como o cancro, e outras. Resultado, afinal de contas, da preocupação ambiental distintiva e do rigor na transformação do azeite, em todas as fases da sua produção.

O lagar da Quinta do Prado é, sublinhe-se, o primeiro em Portugal com certificação FSSC 22000 (Food Safety System Certification), uma das mais rigorosas normas internacionais em segurança alimentar.

O crescimento do olival do Acushla dá-se no respeito absoluto pelos trâmites definidos pelo modo de produção biológica, previstos pela legislação europeia e americana do setor. O que obriga a diversos procedimentos, mais morosos e dispendiosos, designadamente à manutenção do fundo de fertilização dos solos e ao respeito por princípios fitossanitários e de fertilização.

A marca assumiu como objetivo para 2021 tornar a produção da Quinta do Prado completamente independente em termos energéticos. Apostou na energia solar, com a instalação painéis fotovoltaicos em 2016, e está a aumentar este ano a capacidade em 200%.

O que caixas-ninho e ovelhas têm a ver com azeite…

E é por tudo isto que, com uma visão holística da atividade e fiéis ao conceito de uma agricultura biodinâmica, as terras que fazem nascer o Acushla têm instaladas caixas-ninho para o mocho-galego, o falcão peneireiro-comum e a coruja-das-torres. Objetivo: controlar de uma forma sustentável as populações de micromamíferos, que por vezes destroem as condutas de rega e oliveiras nesta exploração.

Adicional e recentemente, a Quinta do Prado adquiriu perto de 200 ovelhas, a fim de fertilizarem os solos com as pastagens e ajudar a criar matéria orgânica para potenciar o valor da compostagem caseira. Economia circular e sustentabilidade integral são, percebe-se, temas muito caros à marca.

O projeto Acushla nasceu para inspirar pela qualidade, mas também pelo design único e diferenciador das embalagens, em diferentes configurações, que garantem a excelência do produto e o transformam igualmente em motivo de oferta. Para aqueles que apreciam… o melhor que a terra dá.

Sobre a Acushla:

O azeite biológico virgem extra Acushla fez sua a palavra de origem celta que significa “o bater do coração”. Ela sintetiza como nasceu o projeto: da força de uma emoção e da paixão que permitiu unir várias gerações da mesma família em torno de uma ideia, que se fez realidade ligada à natureza, com respeito pelo meio ambiente e rumo a um planeta melhor e mais saudável.

O azeite sai dos olivais da Quinta do Prado, localizada em Vila Flor, uma propriedade que reúne elevadas potencialidades para a produção olivícola e para o olivoturismo, e que inaugurará, este ano, uma Guesthouse construída de forma sustentável e integralmente revestida a cortiça – um dos produtos autóctones.