douro Lançamentos vinho do porto

KOPKE vai lançar primeiros Vinhos do Porto “50 Anos”

A Casa de Vinho do Porto mais antiga do Mundo prepara lançamento de um duo de Idades – White e Tawny - com qualidades absolutamente excecionais.

No seguimento da proposta de atualização do regulamento 242/2010, apresentada no Conselho Interprofissional do IVDP a 26 de Julho, para a criação da categoria de Vinho do Porto com Indicação de Idade 50 anos, a KOPKE está a preparar o lançamento de uma oferta única no mercado: um Porto White e um Porto Tawny com meio século de envelhecimento.

A criação da categoria Vinho do Porto com Indicação de Idade “50 anos” irá permitir à Casa mais antiga de Vinho do Porto lançar um duo inédito e exclusivo no mercado. 

KOPKE vai lançar primeiros Vinhos do Porto “50 Anos”
KOPKE vai lançar primeiros Vinhos do Porto “50 Anos”

Do lote farão parte vinhos muito velhos que, pelas suas características organolépticas excecionais, permaneceram em cave, num processo de envelhecimento cuidado e atento. Com a criação desta nova categoria, estes vinhos passam a ter um designativo próprio, integrando o portfólio da marca.

Expressão máxima da arte de loteamento (ou de “blend”) os vinhos do Porto Idades, associados atualmente aos rótulos 10, 20, 30 e 40 anos, requerem mestria no casamento de vinhos de forma a garantir a consistência do perfil identitário da Casa ao longo dos anos.

O espólio de vinhos da Kopke, que inclui Vinhos do Porto velhos e raros, coloca esta Casa centenária na vanguarda da recém-criada categoria com o lançamento não apenas de um Tawny mas também de um White, ambos marcados “50 Anos”.

É na vindima que definimos o estilo dos Vinhos do Porto da Casa Kopke, evoluindo-os de forma preservar a sua matéria corante, a sua capacidade tânica, estrutura e acidez que confere a frescura tão característica dos vinhos White e Tawny da KOPKE”, refere Carlos Alves, enólogo e master blender da Sogevinus.

A KOPKE tem um portfólio de Vinhos do Porto velhos que é único e que envolve um trabalho de acompanhamento muito especial para garantir que estes vinhos evoluem em complexidade, conservando a riqueza de aromas que lhe são intrínsecos.

Ao elaborar estes lotes o meu objetivo é preservar a essência de um legado de vinhos que envelhecem, no mínimo, meio século em madeira num zelo constante de uma equipa que assegura uma curadoria minuciosa para que estes se tornem grandes Vinhos do Porto”, salienta Carlos Alves. Na sua essência, “tratam-se de vinhos de extrema finura e delicadeza, que se revelam em camadas, para nosso deleite e contemplação”, conclui.