Alentejo Lançamentos vinhos

Júpiter – O vinho que nasce no Alentejo e quer conquistar o mundo

Custa 1000 euros a garrafa, e uma semana depois do lançamento já está 1/3 vendido!

A paixão de vida do consultor de vinhos Claúdio Martins, da Martins Wine Advisor, ganha agora forma. Acabou de chegar ao mercado nacional e internacional uma série limitada de Vinhos do Outro Mundo.  A ideia concretizada em parceria com Pedro Antunes, da Sparrow Creative Solutions, vai apresentar ao consumidor descobertas vínicas únicas em todo o mundo, para uma comunidade eclética de conhecedores de vinhos.

Tendo como conceito o sistema solar, Wines From Another World vai adicionar um vinho a cada ano, até que haja nove vinhos para representar cada planeta do sistema solar.

Vinho Júpiter
Vinho Júpiter

O primeiro vinho é português, do Alentejo, e é Júpiter, o maior planeta, nascido da parceria com Pedro Ribeiro, da Herdade do Rocim. Outra grande novidade que o Júpiter traz é a associação à Agência Espacial Portuguesa que através de imagens satélite identifica o momento mais adequado para a vindima, garantindo vinhos de qualidade superior.

O vinho custa 1000 euros a garrafa e tem uma edição limitada de 800 exemplares. Um terço está já vendido.

Vinho Júpiter - embalagem
Vinho Júpiter – embalagem

Wines From Another World vai fazer uma viagem pelas principais regiões vinícolas do mundo, a começar e acabar em Portugal, apresentando alguns dos vinhos mais raros e exclusivos, com apenas 500 a 1000 garrafas produzidas, usando uvas indígenas, métodos tradicionais e até antigos – criando vinhos que contam as histórias e a história dos lugares em que são feitos. 

A coleção foi inaugurada em Portugal por convite personalizado a 20 conhecedores e colecionadores de vinhos. Os eventos seguintes, ao longo dos próximos oito anos, terão lugar nas regiões de produção dos próximos vinhos: Bordéus, Champagne, Priorat, Toscana, Napa Valley, Mosel, Geórgia e o Douro.

Em cada garrafa de vinho, há uma história vívida, a ser contada”.

Cláudio Martins

Para o CEO e fundador da MWA, Cláudio Martins, o seu desejo de contar as histórias frequentemente escondidas e enraizadas de vinhos raros foi o catalisador para a criação de “Vinhos de Outro Mundo“. A devoção de Pedro Antunes, da Sparrow Creative Solutions, criou esta parceria natural:

Não basta apenas sonhar. Trata-se de levar a paixão para níveis extraordinários e inovadores. Para outra dimensão“, diz o criativo, responsável pela imagem do ‘Wines from Another World’.

Os ‘Wines From Another World’ adicionarão um vinho à coleção todos os anos, até contemplar nove vinhos, cada um representando um planeta do sistema solar. Cada vinho virá numa caixa luxuosa e original, e incluirá um código para que os colecionadores possam ter acesso a informações exclusivas, fotografias, vídeos e uma agenda de eventos privados a acontecer pelo mundo.

Júpiter, o primeiro vinho do outro mundo

Pedro Antunes, Cláudio Martins e Pedro Ribeiro
Pedro Antunes, Cláudio Martins e Pedro Ribeiro

Em junho, Júpiter, concebido em parceria com Pedro Ribeiro, da Herdade do Rocim, um dos mais conceituados produtores do Alentejo vai chegar aos apreciadores, colecionadores e investidores de vinhos raros. Será o primeiro vinho português a integrar, também, o portfólio da OENO, empresa inglesa de investimentos em vinho.

Conhecedor dos produtores de vinhos mais ecléticos do mundo, Claúdio Martins decidiu começar pelo vinho português e pelo Alentejo. 

O primeiro vinho será Júpiter, o maior planeta do sistema solar. É uma parceria com Pedro Ribeiro da Herdade do Rocim, um dos produtores mais respeitados da região do Alentejo. Já provei vinhos de muitos produtores, mas este é, sem qualquer dúvida, o que merece ser Júpiter. Foi feito com castas indígenas e métodos de produção antigos, incluindo fermentação e quatro anos de envelhecimento em talhas“, acrescenta Martins. “A suavidade deste vinho traduz-se num sabor delicado e refinado“.

Viajar é uma parte fundamental da vida de um enólogo. Ao criar este vinho, fiz uma viagem inimaginável. Ao mesmo tempo, foi um desafio muito inspirador. O meu maior desejo é partilhar essa mesma experiência com o mundo, porque Júpiter é de facto um vinho de outro mundo. Júpiter traz consigo um legado cobiçável para as gerações futuras de conhecedores que apreciam a história, a cultura e a tradição nas suas escolhas vínicas“, diz Pedro Ribeiro.

Em cada garrafa de vinho, existe uma grande influência cultural, uma história, um legado familiar e pessoas. Há uma história por detrás de cada vinho e é isso que cria uma profundidade, que provoca tanto pensamento e tanta emoção. Quanto mais abrimos e exploramos garrafas, mais curiosos e empenhados nos tornamos. Agora, estamos a voltar às raízes do vinho, usando métodos ancestrais para trazer de volta ao mundo moderno sabores antigos, criando algo completamente único e extraordinário que o sector nunca viu antes. Estes nove vinhos tornar-se-ão rapidamente alguns dos vinhos mais cobiçados nas próximas décadas e, logicamente, o seu valor aumentará exponencialmente durante esse período. É por isso que estamos a ser tão seletivos com quem estamos a convidar para adquirir estes vinhos. Não estarão disponíveis em qualquer loja. São um verdadeiro artigo de coleção e queremos que esteja nas mãos de conhecedores absolutos que apreciarão verdadeiramente o seu carácter tão especial”, adianta Cláudio Martins.

Para a maioria dos colecionadores, Portugal não seria uma escolha óbvia. Gostava de mudar isso. Sei que Portugal produz vinhos do mesmo calibre que os grandes vinhos de Napa Valley, da Toscana ou da Rioja. Com Júpiter, posso tentar chamar a atenção para Portugal. Tenho a oportunidade de apresentar estes vinhos de qualidade a pessoas que podem realmente apreciar a sua verdadeira qualidade, a sua história e o seu carácter. A nossa rede de contactos permite-nos ambicionar, não só ajudar a colocar os vinhos portugueses no mapa, como também dar a conhecer produtores menos conhecidos de outras regiões, que estão realmente a criar vinhos requintados e que merecem reconhecimento“, remata o CEO da Martins Wine Advisor.

Ao projeto junta-se, ainda, a Geosat, concretizando um dos grandes objetivos da Agência Espacial Portuguesa, de aproximar o setor espacial e não espacial, para o desenvolvimento de novas aplicações que promovam o crescimento socioeconómico do país.

Neste caso, a utilização de satélites de Observação da Terra permite identificar o momento mais adequado para a vindima, garantindo assim vinhos de qualidade superior”, frisa Hugo André Costa, administrador da Agência Espacial Portuguesa.