Alentejo ambiente sustentabilidade

Ervideira contribui para futuro sustentável e amigo do ambiente

A Ervideira assume-se como empresa aliada do ambiente.

A Ervideira é uma empresa verde, e que se orgulha de contribuir para um mundo melhor. Sempre a pensar no futuro e com a inovação associada, os consumidores podem sentir-se seguros de que estão perante vinhos produzidos com práticas sustentáveis e amigas do ambiente.

São várias as áreas onde a Ervideira consegue aplicar o conhecimento e a necessidade de contribuir para a redução da pegada ambiental.

Ervideira contribui para futuro sustentável e amigo do ambiente
Ervideira contribui para futuro sustentável e amigo do ambiente

Começando desde logo pela agricultura, a Ervideira procura produzir com responsabilidade. A terra trabalhada tem uma percentagem de matéria verde, maior do que uma terra ao abandono, o que é lógico e com isso há mais fixação de CO2 e libertação de oxigénio, há também uma proteção acrescida de todos os terrenos contra os fogos, com os aceiros de proteção antifogo e máquinas, e equipamentos para combater a destruição de uma cultura.

Têm ainda o cuidado de proteger o solo para que não haja efeitos de erosão, bem como o aumento de matéria orgânica, e estes são expoentes diários da prática agrícola da Ervideira.

Mas a preocupação ambiental deve percorrer (e na Ervideira não é exceção) todas as áreas de produção, seja na adega, nos escritórios e na própria terra, como se indica em baixo.

Ervideira
Ervideira

Na terra:

  • Reter água de inverno para as regas no verão, e também recorrer à rega de precisão por forma a reduzir consumo de água. De salientar, neste ponto, que foi feito um investimento de 300.000 euros na construção de um armazenamento de água de inverno, de 30.000 metros cúbicos, suficientes para regar o novo projeto de implantação de 18,5ha de vinhas com o objetivo de aumentar a produção de vinhos Topo de Gama;
  • Aplicar mais de 5 toneladas de matéria orgânica por ano, por hectare, que resulta dos lixos orgânicos produzidos nas cidades, o que permite melhorar e aumentar a qualidade e quantidade de solo, assim como aumentar a fixação das águas da chuva e melhorar o enraizamento das plantas;
  • Aplicar fitofármacos quando estritamente necessário, recorrendo a modelos climáticos, e previsões, bem como em cada tratamento, recorrendo a painéis recuperadores de calda. Apenas com estes dois sistemas conseguiu-se uma redução, em média, de 65% na aplicação de produtos fitossanitários;
  • Deixar faixas entre culturas, de forma a proteger os organismos auxiliares e outros animais complementares da Natureza;
  • Reduzir a mobilização de solo ao mínimo, o que contribui para a preservação do solo para as gerações futuras.

Na Adega:

  • Procurar comprar garrafas de vidro reciclado, assim como cartões reutilizados;
  • O controlo da temperatura dos armazéns é natural, apenas provocando fluxos de ar aproveitando o gradiente térmico do dia para a noite;
  • Autossuficiência no consumo de energia elétrica vs. energia produzida através de uma central elétrica de painéis solares. Falamos da construção de painéis fotovoltaicos, suficientes para tornar a empresa autossustentável em matéria de energia 100% verde. Este é um investimento que representa 60.000 euros e que ficará amortizado em 5 anos.

No escritório:

  • Separação e reciclagem de todo o lixo produzido, tanto na adega como no escritório;
  • Redução das luzes acesas a 50%;
  • Receber faturas e guias por e-mail e não impressas, sempre que possível.

Para a Ervideira, a Sustentabilidade passa também por outros caminhos que vão além da redução da pegada ecológica.

Ervideira Winelounge
Ervideira Winelounge
  • Entender que uma empresa agrícola não terá de depender de subsídios agrícolas para sobreviver, mas sim para investir na própria empresa;
  • Reconhecer que deverá ter uma reduzida rotação de pessoal, próxima do zero. É um sinal de que as pessoas se sentem bem na empresa que trabalham e estão mais motivadas;
  • Manter os seus fornecedores satisfeitos com o nível de compras e de cumprimento integral dos pagamentos;
  • Transmitir aos clientes a certeza de um produto seguro, confiável e de qualidade;
  • Instaurar internamente vários “cultos”, como o da segurança, da reciclagem, da criação, da liberdade, do respeito e da valorização dos colegas;
  • Olhar para a preocupação da empresa com o ambiente de forma diária;
  • Ter em atenção o nível de cuidado para com a sociedade, especialmente com os mais próximos;
  • Certificar que os lucros e prejuízos são da empresa e não para os sócios e que estes são importantes pois são a garantia de um futuro seguro;
  • Manter a empresa familiar e garantir a sucessão sempre de Geração em Geração;
  • Assumir sempre princípios, valores e responsabilidade.

Para a Ervideira a sustentabilidade é ter seriedade connosco próprios e com todos os que nos rodeiam, seja com a natureza, parceiros e acima de tudo com as pessoas, que devem ser respeitadas em qualquer circunstância, e com estas ideias em mente, podermos todos contribuir para um futuro melhor e mais sustentável” afirma Duarte Leal da Costa, Diretor Executivo da Ervideira.

Com estas aplicações sustentáveis, a Ervideira é e será uma empresa que pensa no e para o futuro, e pretende também transmitir esta responsabilidade de forma interna e externa. Porque a sustentabilidade tem vindo a estar cada vez mais na ordem do dia, há práticas que já herdaram dos antepassados, mas há pequenas mudanças de mentalidade que podem fazer a diferença na altura de optar pelo futuro mais sustentável possível.

Nada se faz, se decide ou se pensa em termos de futuro na Ervideira que não considere a sustentabilidade, quer ecológica, quer financeira, pelo que qualquer que for a iniciativa na qual estivermos a trabalhar, temos sempre uma abordagem sustentável. E uma coisa afirmo: em breve estaremos a mostrar que o nosso balanço de Oxigénio/Carbono, será largamente positivo”, conclui Duarte Leal Costa.

Para mais informações consulte em www.ervideira.pt