Bairrada distinção vinhos

‘Casa de Saima Baga Tonel 10 tinto 2018’ é destaque no New York Times

Numa lista de 20 vinhos que nos permitem viajar pelo mundo, a Bairrada volta destacar-se a nível internacional, desta feita no The New York Time.

Com a pandemia da Covid-19 a ganhar contornos que nos obrigam a um confinamento apertado a nível global, Eric Asimov, o conceituado crítico de vinhos do The New York Times, foi às compras! Fê-lo através de plataformas digitais e tendo como objetivo eleger vinhos que o fizessem viajar pelo mundo, sem sair de casa.

No final, elegeu uma exclusiva lista de 20 vinhos, que em comum têm: estão à venda por menos de 20 dólares, nos Estados Unidos; expressam na plenitude o terroir de origem; e são “grandes compras”, o que se traduz numa excelente relação de preço qualidade.

Portugal está na lista, com apena um vinho, sendo o mesmo da Bairrada. O eleito é o ‘Casa de Saima Baga Tonel tinto 2018’. É caso para dizer que, passo a passo, a Bairrada começa a mostrar-se – e bem – ao Mundo!

Casa de Saima Baga Tonel tinto 2018
Casa de Saima Baga Tonel tinto 2018 (frente)

O artigo de Eric Asimov intitula-se “20 vinhos por menos de 20 dólares: postais do Mundo” e pode ser lido on-line. O crítico considera que o vinho tem o poder de nos transportar, sendo elemento (quase) essencial para nos acompanhar nos próximos tempos, em que viveremos num quadro de congelamento pandémico, com muitas pessoas confinadas nas suas fronteiras nacionais, o vinho ainda oferece uma oportunidade de provar o mundo.”.

Destaca a Bairrada como uma região com uma identidade muito vincada – que se reflete nos vinhos –, devido à influência marítima do Atlântico e solos calcários.

Uma região que tem apostado – e bem – nas suas castas autóctones, como é o caso da Baga, a casta rainha da região.

Casa de Saima Baga Tonel tinto 2018
Casa de Saima Baga Tonel tinto 2018 (verso)

Uma casta tinta que está na origem do vinho eleito, o ‘Casa de Saima Baga Tonel 10 tinto 2018’, um vinho “gracioso e comovente, com sabores terrosos de frutas vermelhas”, que fermentou em lagares de cimento, tonéis de madeira – tipicamente usados na região do Douro para a feitoria de vinho do Porto – e que, posteriormente, estagiou em barricas velhas de carvalho.

Um vinho que mostra a Baga no seu esplendor e que tem origem num pequeno projeto de vinhos, situado em Sangalhos, no concelho Anadia, em pleno coração da Bairrada, sendo conduzido pela produtora Graça Miranda e pelo enólogo Paulo Nunes.