relatório vindimas

Borges divulga relatório de vindima 2020 – Desafio, determinação, superação e retribuição

A Sociedade dos Vinhos Borges divulgou o relatório de vindima do ano vitícola 2019-2020, na Quinta da Soalheira (Douro), Quinta de São Simão da Aguieira (Dão), Quinta de Simaens e Quinta do Ôro (Região dos Vinhos Verdes).

O ano vitícola 2019-2020 foi um ano de extremos, de muitos desafios e de superação, mas também de uma grande determinação e retribuição. Embora marcada pela pandemia e pelas condições climáticas irregulares, que exigiram muitas mudanças e um olhar atento e minucioso das equipas de viticultura e enologia, esperam-se vinhos de elevada qualidade.

A vindima de 2020 teve como particularidade uma adaptação constante dos métodos de trabalho de forma a garantir a segurança de todas as equipas e que os trabalhos nas vinhas fossem realizados no tempo devido.

Vindima 2020 – Vinhos Borges

Na Região Demarcada do Douro, na Quinta da Soalheira, em São da Pesqueira, o ano vitícola ficou marcado pelas constantes mudanças de temperaturas, verificando-se um aumento mais acentuado nos meses de fevereiro, maio e julho. Estas condições trouxeram uma preocupação redobrada com as vinhas e a necessidade de uma vindima mais curta.

A vindima na Quinta da Soalheira iniciou-se a 24 de agosto com castas brancas e terminou, pela primeira vez, no dia 29 de setembro devido ao avanço das maturações das castas tintas e a perca de peso por desidratação. Um ano em que se espera uma ligeira quebra a nível quantitativo, mas em que as expectativas em termos qualitativos são muito boas.

Na Quinta de São Simão da Aguieira, Região Demarcada do Dão, o ano foi marcado pelos efeitos das temperaturas altas. Estas condições resultaram num abrolhamento precoce, um sucessivo avanço na fenologia e, mais tarde, numa aceleração inesperada das maturações.

A vindima decorreu entre os dias 24 de agosto e 29 de setembro sem interrupções. Embora tenha havido um pequeno período de precipitação, o tempo manteve-se estável o que permitiu a entradas das uvas na adega em muito bom estado. Destes vinhos espera-se muita frescura, excelente acidez, e muito boa intensidade aromática, elegância e estrutura.

Na Região dos Vinhos Verdes, na Quinta de Simaens e na Quinta do Ôro, em Felgueiras, o ano foi principalmente desafiante no controlo da sanidade da vinha, devido às altas temperaturas e à precipitação registadas. A vindima iniciou-se em setembro decorrendo durante a noite, com temperaturas mais amenas, o que contribuiu para o perfeito estado das uvas.

Antevê-se um ano distinto, com previsão de vinhos muito vibrantes, aromáticos, acidez equilibrada e excelente volume de boca.