vindimas vinhos verdes

Adega de Monção antecipa excelentes resultados para a produção deste ano

A Adega de Monção mostra-se confiante em relação à qualidade do vinho a produzir, decorrente desta colheita. Apesar das contrariedades do momento atual, Armando Fontaínhas refere que este ano receberam "as melhores uvas de sempre".

As vindimas no maior produtor da sub-região de Monção e Melgaço tiveram início a 4 de setembro e terminaram a 1 de outubro. Em jeito de balanço, a Adega de Monção destaca a qualidade da uva.

Com 1600 associados, a Adega de Monção mostra-se satisfeita com a colheita vindimada durante o último mês.

Vinha – sub-região de Monção e Melgaço

Embora este ano seja atípico devido à pandemia, e até mesmo a nível meteorológico, a Adega de Monção tem boas perspetivas para a produção. Isto porque as uvas colhidas apresentam um excelente grau de qualidade fitossanitário, que com certeza se espelhará nos vinhos produzidos pela Adega.

O Presidente da Adega de Monção, Armando Fontainhas, refere que, este ano, receberam “as melhores uvas de sempre”. Mesmo com a variabilidade meteorológica que se registou nos meses de julho e setembro, devido às altas temperaturas, a colheita revelou-se “ainda melhor do que se previa”.

O sucesso desta vindima está também nas mãos de quem cuida das vinhas todo o ano, colocando todo o trabalho e todo o seu conhecimento na terra e das videiras: os cooperantes da Adega de Monção. Armando Fontainhas deixa um agradecimento especial a todos os que trabalharam diariamente para que nesta altura do ano não existam contratempos.

Os nossos cooperantes foram o elemento chave para que tudo corresse como estava previsto. É também de enaltecer o comportamento dos nossos cooperantes no que toca às normas de segurança impostas devido à pandemia. Todos os procedimentos estabelecidos para as vindimas: a medição da temperatura à entrada da Adega, a utilização obrigatória da máscara e só estar uma pessoa por trator, foram cumpridos à risca.”, afirma o Presidente da Adega de Monção.

Embora 2020 esteja a ser um ano atípico, e se tenha registado um decréscimo na produção de uvas tintas, a maior produtora da sub-região de Monção e Melgaço mostra-se muito confiante quanto aos resultados e quanto ao bom vinho que se está a produzir, que em breve os portugueses vão poder provar.