distinção homenagem

Prémios Dona Antónia distinguem cientista e financeira

Maria Manuel Mota e Sara do Ó são as galardoadas. Prémios Dona Antónia Adelaide Ferreira distinguem anualmente mulheres portuguesas que se afirmam publicamente pelas suas qualidades humanas e espírito empreendedor.

Maria Manuel Mota, cientista portuguesa e Diretora Executiva do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes (iMM) em Lisboa, e Sara do Ó, fundadora do Grupo Your, são os nomes distinguidos para receber dia 9 de julho, na Quinta do Porto, no Douro, numa cerimónia privada, os PRÉMIOS DONA ANTÓNIA ADELAIDE FERREIRA 2019.

O Prémio Consagração de Carreira, atribuído a Maria Manuel Mota, pretende homenagear um percurso de vida consolidado e merecedor de inequívoco reconhecimento público. Já o Prémio Revelação, agora concedido a Sara do Ó, procura enaltecer uma carreira com relevância em fase de afirmação e desenvolvimento.

Maria Manuel Mota
Maria Manuel Mota – foto em https://bit.ly/38wbfZM

Presidido por Artur Santos Silva, o propósito da criação deste prémio tem sido, desde a sua génese e ao longo das suas 32 edições, prestigiar mulheres portuguesas cujo percurso de vida revele uma identificação estreita com os valores pessoais e profissionais personificados por Dona Antónia Adelaide Ferreira.

Personagem ímpar na história do Douro, empreendedora e de forte caráter humanista, Dona Antónia inspirou, de forma determinante, o desenvolvimento da marca Porto Ferreira e de toda a viticultura duriense.

Maria Manuel Mota nasceu em 1971, na Madalena, concelho de Vila Nova de Gaia. A investigar o parasita da malária há cerca de 20 anos, a cientista portuguesa é líder da Unidade de Malária do Instituto de Medicina Molecular em Lisboa desde 2005, tendo encabeçado o cargo de diretora executiva do mesmo a partir de 2014. A sua liderança tem valido um aumento significativo da massa crítica do instituto, com o objetivo de promoção de descobertas novas e disruptivas, criando assim um espaço para dinâmicas ousadas.

Desde cedo com vocação para Biologia, Maria Manuel Mota licenciou-se nesta área na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, tendo depois obtido um mestrado em Biologia e Imunologia pela Universidade do Porto. O seu interesse por parasitologia conduziu-a à sua tese de doutoramento em Parasitologia Molecular pela University College de Londres, Reino Unido, em 1998.

Em 2003, a cientista foi galardoada com o prémio EMBO Young Investigator e, em 2004, com o prémio European Young Investigator Award, da European Science Foundation. De 2005 a 2010, o seu trabalho de investigação acerca do parasita da malária foi financiado pelo Howard Hughes Medical Institute (EUA). Em 2005 foi ordenada Comendadora da Ordem do Infante D. Henrique e, em 2013, laureada com o Prémio Pessoa dado o caráter pioneiro dos estudos desenvolvidos na área científica.

Já em 2016 foi eleita membro da Organização Europeia de Biologia Molecular (EMBO) e o longo percurso de investigação valeu ainda a Maria Manuel Mota a distinção com o Prémio Pfizer, em 2017, e a atribuição do Prémio Sanofi-Pasteur, em 2018.

Sara do Ó
Sara do Ó – foto em https://www.facebook.com/aboutpocahontas/

Sara do Ó é CEO do Grupo Your, composto por nove áreas de negócio que prestam serviços especializados de apoio à gestão das empresas. Licenciada em Controlo e Gestão Financeira no ISCAL e com uma especialização em Fiscalidade pelo ISCTE-IUL, a financeira iniciou a sua carreira na KPMG. Aos 26 anos criou a Your Office, uma empresa de contabilidade com um posicionamento disruptivo e inovador face às tradicionais empresas do setor.

Em 2011, a Your Office entrou no ranking das Empresas Gazela, da revista Exame e, no ano seguinte, nasceu o Grupo Your formado por 180 pessoas e cerca de 1.800 PME’s como clientes. A sua vontade de empreender e constante necessidade de criar, levou Sara do Ó, há cerca de 2 anos, a criar a Your Capital para investir em novos negócios, tendo lançado em 2019 a Ofélia, um estúdio criativo apaixonado por marcas que apoia PME’s nas diferentes vertentes da comunicação e ainda o Grupo Hug, dedicado aos serviços de apoio ao domicilio, bem-estar e estímulo intelectual para idosos .

Para este ano estão ainda previstos lançamentos de 2 novos projetos. Em 2015, o trabalho e gestão de recursos humanos da empreendedora valeram-lhe o Prémio Melhores Gestores de Pessoas e ainda o prémio “Happiness Works” ao Grupo Your em 2015, 2017, 2018 e 2019.

Membro da Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas, Sara do Ó incorpora ainda o Conselho Editorial da Executiva desde 2018 e é Membro do Conselho Fiscal da ACEGE – Associação Cristã de Empresários e Gestores. Em 2016, impulsionada pelo seu espírito de missão e serviço ao outro criou a Associação Ilha da Misericórdia, uma Associação sem fins lucrativos que apoia pessoas em recomeços de vida.

Defesa do empreendedorismo e dos valores humanistas

Criados em 1988 pelos descendentes da homenageada e pela Sogrape, detentora da marca Porto Ferreira, os PRÉMIOS DONA ANTÓNIA ADELAIDE FERREIRA têm o intuito de distinguir, anualmente, mulheres portuguesas que se afirmam publicamente pelas suas qualidades humanas e espírito empreendedor, seguindo o excecional exemplo de vida de Dona Antónia ao contribuírem para o desenvolvimento económico, social e cultural de Portugal.

Em suma, os promotores do Prémio pretendem distinguir mulheres com um posicionamento e ideais que sigam de perto as características e a pauta de valores da “Ferreirinha”.

Consultando o quadro das mulheres distinguidas até hoje, torna-se evidente a justeza do trabalho desenvolvido pelo júri. Todas as premiadas partilham de um mesmo espírito empreendedor, capacidade de liderança, abertura à inovação e à criatividade, sentido do serviço público e sensibilidade social.

Sobre Dona Antónia Adelaide Ferreira

Dois séculos depois do nascimento de Dona Antónia Adelaide Ferreira (1811-1896), que os seus conterrâneos apelidaram carinhosamente de “Ferreirinha”, evocar esta figura ímpar da história do Douro Vinhateiro é prestar uma justa homenagem a uma mulher que se tornou um símbolo não só do empreendedorismo e da viticultura duriense, mas também um exemplo maior do altruísmo e da generosidade para com os mais necessitados.

Dona Antónia faleceu a 26 de março de 1896 quando estava prestes a completar 85 anos de uma vida intensa ao serviço da causa do Douro Vinhateiro e dos seus habitantes, principalmente os mais pobres e desfavorecidos, tendo sido sem dúvida uma das personalidades mais marcantes da história de uma das primeiras e mais importantes regiões demarcadas da viticultura em todo o Mundo.

Esta mulher franzina, mas também vibrante e corajosa, tornou-se um símbolo raro de empreendedorismo e é hoje recordada como um exemplo de tenacidade no combate ao drama e à miséria que se abateram sobre a região do Douro em consequência da praga da filoxera, destruidora de grandes vinhedos e dos sonhos de muitos agricultores arruinados. Um cenário de desolação a que a Ferreirinha soube responder com firmeza na luta contra a doença das videiras, através da investigação dos processos mais evoluídos de produção do vinho, de novas grandes plantações de vinha e de aquisições avultadas de terras e de vinhos a proprietários temerosos e descapitalizados.

Herdeira de uma família abastada do Douro com uma importante atividade no cultivo da vinha e na produção de Vinho do Porto, Dona Antónia viu-se na contingência, aos 33 anos de idade, após ter enviuvado, de assumir a liderança dos negócios familiares e de desenvolver aquela que viria a ser a casa FERREIRA – missão que cumpriu com raro brilhantismo, revelando uma extraordinária vocação empresarial.

Mas Dona Antónia não se limitou a gerir a fortuna recebida por herança. Antes investiu, de forma apaixonada e intensa, na Região do Douro que tanto amou, sem esperar pela proteção ou apoio do Estado. Da Ferreirinha se dizia que era generosa com os pobres e mais fracos, mas altiva com os mais ricos e poderosos; e que estava com a mesma naturalidade em casa dos trabalhadores mais modestos ou no Palácio Real. Todos estes atributos, a que se juntaram os seus vinhos finos, de qualidade premiada nas mais prestigiadas exposições internacionais, contribuíram para que esta mulher ímpar tenha adquirido uma aura mítica no mundo dos negócios, na Região do Douro, estendendo-se o seu reconhecimento a nível nacional.

%d bloggers like this: