concurso design rótulo

E o vencedor do rótulo mais “cool” da Nat Cool é…

O concurso internacional de rótulos da Niepoort recebeu 420 propostas com muita qualidade de 22 países no mundo.

O concurso internacional Nat Cool Art, que a Niepoort lançou no mês de maio, teve uma elevada projeção internacional e um sucesso que superou as expectativas. O desafio que foi lançado ao mundo para encontrar o melhor rótulo para o vinho Nat Cool acabou por receber 420 propostas artísticas, de 192 participantes, provenientes de 22 países diferentes. Esta resposta revelou-se um sucesso maior do que o esperado.

O júri do concurso internacional NatCool@Art, composto por Daniel Niepoort (enólogo), Dirk Niepoort (director-geral da Casa Niepoort), Francisco Providência (designer), João Noutel (pintor) e Tiago Dias da Silva (marketeer), reuniu-se na pequena praia de Vila Chã (Portugal) no dia 11 de junho para apurar os resultados do concurso e encontrar um vencedor.

Rótulo vencedor Nat Cool Art - Radion Sobolev
Rótulo vencedor Nat Cool Art – Radion Sobolev

A qualidade, quantidade e diversidade das propostas exigiu um ponderado esforço de visualização e reflexão do júri que, para a atribuição do vencedor, assumiu o método da compilação e comparação de 10 obras selecionadas por cada um dos 5 membros.

Rótulo 2º lugar Nat Cool Art - Sérgio Guimas
Rótulo 2º lugar Nat Cool Art – Sérgio Guimas

O primeiro lugar foi atribuído por unanimidade ao rótulo de Radion Sobolev, de nacionalidade ucraniana, que desenhou um pintor a delinear os olhos do rótulo Nat Cool numa parede, e o segundo lugar foi atribuído ao rótulo de Sérgio Guimas (Portugal), que se inspirou numa “naturally cool” Audrey Hepburn para a sua proposta artística. Foram ainda escolhidos quatro rótulos na qualidade de menções honrosas, todos de artistas portugueses.

Com participações de 22 países de todo o mundo – Alemanha, Áustria, Brasil, Canada, Chile, China, Dinamarca, Eslovénia, Espanha, EUA, França, Itália, Japão, Lituânia, Moçambique, Polónia, Portugal, Rússia, Suécia, Suíça, Ucrânia, Zimbabué -, as 420 propostas artísticas apresentadas deixaram a Niepoort muito satisfeita diante do interesse gerado.

Fico sempre satisfeito quando percebo que há adesão e identificação face aos vinhos que fazemos. Ao ignorar todas as  regras para além da verdade, frescura, aroma e respeito por cada região vinícola, o espírito Nat Cool aproxima-se de uma nova geração junto da qual nós queremos estar,” afirma Dirk Niepoort.

Estão prometidas novas edições deste concurso internacional, e um “Nat Cool Guide”, que irá elencar todos os locais onde se pode beber este vinho de carácter festivo, para celebrar a “revolução NatCool”.

%d bloggers like this: