douro vinho do porto

Grupo Sogevinus apresenta os seus Vintage 2018

Quatro casas, dois terroirs de excepção e o reflexo da região do Douro, num ano de contrastes.

Num ano marcado por adversidades, o grupo Sogevinus lança para o mercado dois Vintages Single Quinta e dois Vintages Clássicos que refletem a autenticidade e o estilo de cada Casa. 

A excecionalidade do terroir das Quintas de São Luiz, no Cima-Corgo, e do Arnozelo, no Douro Superior, resultou em dois Vintages Single Quinta com o perfil e a identidade individual das Casas Kopke e Burmester, respetivamente.

Já as Casas Cálem e Barros lançam no mercado dois Vintages Clássicos que traduzem a riqueza da diversidade de uma região: o Douro.

Winemaker & Blender Carlos Alves
Winemaker & Blender Carlos Alves

2018 foi um ano particularmente desafiante marcado por condições climáticas adversas que resultaram numa menor produção mas que recompensou, contudo, pela sua excelente qualidade. Face à menor quantidade de uva a entrar na adega, conseguimos observar e acompanhar ao detalhe as fermentações dos primeiros mostos, pelo que a excelência da matéria-prima revela-se agora em vinhos excecionais que retratam na sua essência o perfil de cada uma das Casas, contextualiza Carlos Alves, enólogo para Vinhos do Porto da Sogevinus Fine Wines.

Generalizando, os Vintages 2018 destacam-se pelasua frescura, elegância e excelente equilíbrio entre a doçura e a acidez, acrescenta a enólogo.

Kopke, Quinta de S. Luiz Vintage 2018 

Quinta de S. Luiz Vintage 2018
Quinta de S. Luiz Vintage 2018

A Quinta de S. Luiz, situada na margem esquerda do rio Douro na sub-região do Cima Corgo, viveu um ano vitivinícola marcado por contrastes: um Inverno extramente seco e frio, seguido de uma forte precipitação na Primavera que se estendeu até ao início do Verão, com episódios de granizo.

Por fim, um Agosto e Setembro marcados como os meses mais quentes dos últimos anos a atingir temperaturas máximas médias de 35,9ºC, registadas na estação meteorológica da Quinta de São Luiz.

Apesar das elevadas temperaturas no Verão, a folhagem protegeu os bagos do escaldão e a vinha conseguiu extrair do solo a água e os nutrientes necessários que permitiram vindimar as uvas com excelente estado sanitário e com boa maturação.

Foi neste contexto que se selecionaram uvas de cotas médias e baixas, de exposição norte / noroeste, provenientes exclusivamente das parcelas plantadas entre os 110 e os 135 metros de altitude, para produzir este Vintage da Quinta de São Luiz.

Do lote fazem parte a Touriga Nacional – que lhe atribui frescura e notas de fruta – e uvas provenientes de Vinhas Velhas, com mais de 80 anos, que lhe conferem assertividade e concentração.

De cor retinta, concentrado, com um nariz fresco e exuberante onde sobressaem notas de fruta negra madura em camadas, este Vintage destaca-se pela sua estrutura e equilíbrio com um tanino bem presente, a marcar o estilo dos Vintages Single Quinta da Casa Kopke.

A acidez crocante combinada com as diferentes camadas de fruta fresca tornam este vinho guloso e com um final de boca intenso, que lhe advinha um enorme potencial de envelhecimento. 

Foram produzidas apenas 4.783 garrafas deste Vintage de forma a dar continuidade ao legado da mais antiga Casa de Vinho do Porto que tem como berço a histórica Quinta de São Luiz. 

Burmester, Quinta do Arnozelo Vintage 2018 

Quinta do Arnozelo Vintage 2018
Quinta do Arnozelo Vintage 2018

Na Quinta do Arnozelo, situada na sub-região do Douro Superior, a vindima das uvas para Vinho do Porto arrancou apenas a 13 de Setembro, reflexo de um Inverno frio e seco, seguido de uma Primavera particularmente chuvosa que atrasou o ciclo vegetativo.

O clima quente do Verão potencializou as reservas de água do subsolo, o que permitiu vindimar uvas de excelente qualidade. Nesta Quinta, destacam-se as performances da Touriga Franca, de parcelas a 200m de altitude e viradas a nascente, e da Touriga Nacional exposta a nordeste a 280 m de altitude.

À elegância e riqueza aromática da Touriga Nacional, alia-se a concentração e estrutura da Touriga Franca que, em igual percentagem, compõem o lote deste fascinante Vintage da Quinta do Arnozelo.

De tonalidade vermelha intensa com laivos violeta, este vinho assume o perfil da Burmester num registo mais elegante e perfumado que seduz pela sua riqueza aromática, concentração de fruta e taninos vibrantes que conferem ao vinho uma grande finesse.

Com um final longo e intenso, este vinho é a mais pura expressão da excelência do terroir da Quinta do Arnozelo.

Foram produzidas apenas 6.405 garrafas do Quinta do Arnozelo Vintage 2018. Uma edição limitada de um Single Quinta Vintage com o carácter distintivo da Casa Burmester.

Cálem Porto Vintage 2018 

Cálem Porto Vintage 2018
Cálem Porto Vintage 2018 

Os Vintages Clássicos da Cálem nascem no Douro Superior, expressão de um mosaico de terroirs que traçam o perfil clássico da marca. Fruto de um blend de uvas de diferentes parcelas de Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Sousão, que compõem este lote.

O Vintage da Cálem mantém a consistência da identidade da Casa: vinhos com perfil mais robusto marcado pela estrutura e pela fruta madura. 

Concentrado, este Vintage apresenta uma cor púrpura intensa, antecâmera de um nariz marcado por fruta negra bem madura com agradáveis notas de especiaria e cacau. Vigoroso e intenso com um tanino bem firme, é um vinho cheio e volumoso onde a sua acidez assertiva confere-lhe uma estrutura única antecipando um grande potencial de guarda.

Foram produzidas apenas 4.435 garrafas do Vintage Cálem 2018, nesta categoria que vem sendo um clássico desta Casa.

Barros Porto Vintage 2018 

Barros Porto Vintage 2018
Barros Porto Vintage 2018

O coração do Douro, em plena sub-região do Cima-Corgo, é o berço do Vintage Clássico da Barros, um vinho com um perfil mais delicado, mineral e balsâmico. 

A Touriga Nacional, a Touriga Franca e a Tinta Roriz são as três castas base para o lote deste Vintage que contempla ainda uma pequena percentagem de Sousão. 

De tonalidade vermelha intensa, este Vintage destaca-se pelo seu nariz perfumado onde as notas florais se conjugam com notas de fruta fresca e especiarias. Um vinho voluptuoso, com taninos bem integrados, suculento, com estrutura afirmativa e um apetitoso final. 

Um Vintage com um perfil atraente que lhe permite ser desfrutado ainda jovem, ideal para quem se inicia na categoria, não obstante o seu potencial de guarda. 

Foram produzidas apenas 3.735 garrafas deste Vintage Clássico da Barros, uma Casa protagonista da história do Vinho do Porto escrita em português.

Os quatro vinhos apresentados chegam ao mercado consumidor a partir do segundo semestre deste ano.