declaração douro vinho do porto

A Taylor’s declara Vintage Clássico pela terceira vez consecutiva

No dia 23 de Abril, a Taylor's, a Fonseca e a Croft têm a tradição de anunciar, se lançam um vinho do Porto Vintage e, se sim, quais os vintages que serão engarrafados. O ano de 2018 produziu uma situação incomum, com a Taylor’s a declarar um 'Vintage Clássico', algo que nem a Fonseca nem a Croft vão fazer.
The Fladgate Partneship Vintages 2018

Comentando a decisão, o CEO da Taylor’sAdrian Bridge, refere:

Este é um ano em que as condições gerais foram excelentes, mas excepcionais, no Douro superior. Como a Taylor’s é a única das nossas casas com uma extensa propriedade nesta parte do Douro, conseguiu fazer um Vintage clássico. Todas as nossas propriedades são cultivadas de maneira que todas as suas uvas possam ser transformadas em vinho do Porto Vintage.

David Guimaraens, director técnico e de enologia, refere:

O Douro Superior desfrutou da combinação de abundante água subterrânea e clima quente durante o Verão, o que muitas vezes produz magníficos Vintages. Isso deu-nos excelente maturidade fenólica, típica de um período de maturação quente, mas com maravilhosas camadas de fruta e uma acidez fresca que normalmente vemos em anos mais frescos.

Adrian acrescenta:

Embora uma declaração Clássica normalmente aconteça apenas três vezes por década, a sequência excepcional de anos fez com que a Taylor’s conseguisse fazer um terceiro Vintage consecutivo. Isso é muito incomum, mas o nosso princípio é que apenas declaramos um Vintage Clássico quando a qualidade está presente e isso é ditado pelo ano, e não por qualquer outra consideração. Atendendo à situação económica que vivemos, engarrafaremos os vinhos em Julho como de costume, mas apenas iniciaremos a sua comercialização no início de 2021”.

Fonseca lançará o Vintage Guimaraens 2018, o primeiro Guimaraens desde 2015

Adrian Bridge comenta:

Estou muito satisfeito em lançar o Guimaraens Vintage de 2018. O conceito Guimaraens é único, um vinho com a mesma constituição e caracter que os clássicos Fonseca Vintages, mas feito com um estilo mais acessível e de maturação mais precoce”. 

David Guimaraens acrescenta:

Acredito que o 2018 seja um dos melhores exemplos recentes de um Guimaraens Vintage, com os seus ricos e densos frutos da floresta e taninos resistentes, mas optimamente integrados“.

Croft lançará um Vintage de Quinta a partir de sua histórica Quinta da Roêda. 

Adrian Bridge comenta:

O Quinta da Roêda 2018 oferece a característica fruta madura e perfumada que são a apanágio dos vinhos da Roêda, juntamente com os taninos tensos e a frescura do ano.

Comentando em geral sobre o ano, David Guimaraens refere:

A colheita de 2018 produziu excelentes Vintages, embora o ano tenha tido os seus desafios. Um deles foi a severa tempestade de granizo que devastou muitas vinhas do vale do Pinhão, no dia 28 de Maio, entre elas a Quinta do Junco da Taylor’s.

E acrescenta:

É importante notar que os vinhos de 2018 têm a mais alta intensidade de cor dos últimos anos, o que é sempre um sinal de boa extracção e longevidade“.

Informação adicional sobre os vinhos aqui: Taylor’s Vintage 2018Fonseca Guimaraens Vintage 2018 e  Croft Quinta da Roeda Vintage 2018

%d bloggers like this: