Alvarinho prémios vinhos verdes

Adega de Monção premiada no concurso Mundus Vini

Vinhos Alvarinho Deu la Deu Reserva 2017 e Alvarinho Deu la Deu 2018 foram premiados no famoso concurso alemão, Mundus Vini.
Alvarinho Deu la Deu Reserva 2017
Alvarinho Deu la Deu Reserva 2017

O Alvarinho Deu la Deu Reserva 2017 alcançou a “Medalha de Ouro” no reputado concurso Mundus Vini – Spring Tasting 2020. O concurso alemão, que contou com a presença de 268 jurados, decorreu em fevereiro, em Neustadt e avaliou mais de 7.500 vinhos de todo o mundo.

A par do Alvarinho Deu la Deu Reserva 2017, a Adega de Monção alcançou ainda uma “Medalha de Prata” com o Alvarinho Deu la Deu 2018.

Alvarinho Deu la Deu 2018
Alvarinho Deu la Deu 2018

Frequentemente premiado, o Deu la Deu Reserva 2017 é um vinho com um aroma limpo e fresco, com forte presença a flor de laranjeira, maracujá, pêssego e alperce, ideal para acompanhar pratos de peixe e marisco.

O Deu la Deu 2018, também ele frequentemente distinguido, é um vinho com predominância de frutos de prunóideas (pêssego, alperce) e algum caráter floral (flor de laranjeira). Excelente aperitivo e acompanhante de marisco, pratos de peixe e carnes brancas.

Armando Fontainhas, presidente da direção da Adega de Monção, manifestou a sua enorme satisfação pela excelente classificação alcançada pelos Alvarinhos:

Num evento onde estavam em prova 7500 vinhos de todo o mundo, a nossa casa alcançou uma Medalha de Ouro e outra de Prata. Um resultado que nos deixa muito orgulhosos e que reitera mais vez a enorme qualidade dos nossos vinhos. Os produtores de Monção e Melgaço estão mais uma vez de parabéns”, refere.

Fundada em 1958, a Adega de Monção viu, nos últimos anos, a singularidade dos seus vinhos ser distinguida com mais de uma centena de galardões, entre eles Melhor Vinho Branco Português no concurso International Wine Challenge para Muralhas de Monção e medalhas de Ouro para o Alvarinho Deu La Deu no concurso Mundus Vini 2019.

A qualidade da matéria-prima, aliada à cuidada seleção das uvas e à mais moderna tecnologia, foram fatores essenciais para este reconhecimento em Portugal, mas também na Europa, África, Ásia, América do Norte e do Sul

Leia também: