celebração edição comemorativa vinho do porto

Taylor’s celebra o 50º aniversário do lançamento do primeiro LBV com edição comemorativa

Taylor’s celebra o 50º aniversário do lançamento do primeiro LBV, categoria que revolucionou o sector de Vinho do Porto garantindo o seu lugar nos hábitos de consumo dos países ocidentais, onde crescia o interesse no vinho e gastronomia. O LBV contribuiu também para o renascimento do interesse no vinho do Porto Vintage, particularmente na década de 1990, um processo assistido por escritores influentes especialistas em vinho, que ajudaram os consumidores a abraçarem as complexidades do mundo dos grandes vinhos em vez de se intimidarem por elas.
Taylor's - Alistair Robertson e Adrian Bridge com LBV 1965 e 2015
Taylor’s – Alistair Robertson e Adrian Bridge com LBV 1965 e 2015

Pioneira na criação da categoria LBV, a Taylor’s continua a ser o seu principal produtor representando 34% em valor e assume o compromisso de continuar a ser a referência e a primeira escolha do apreciador de vinho do Porto de qualidade.

As vendas do Late Bottled Vintage 2015 irão financiar iniciativas adicionais de sustentabilidade que serão divulgadas oportunamente.

Taylor’s Late Bottled Vintage 2015
Taylor’s Late Bottled Vintage 2015

Alistair Robertson, presidente não executivo da Taylor’s, recorda: “Quando em 1970 avançamos com o lançamento do LBV pretendíamos responder às exigências do consumidor, que tinham mudado radicalmente. Este desejava um vinho do Porto de alta qualidade a preço acessível e sem complicações relativamente ao consumo. A Taylor’s respondeu a estas necessidades com um novo conceito de vinho do Porto, o LBV. Vinho de um só ano, de alta qualidade, com preço acessível, pronto a ser e bebido na altura do engarrafamento, sem necessidade de decantação e que podia ser apreciados ao copo, ao longo de várias semanas.

Taylor's - Alistair Robertson com LBV 1965 e 2015
Taylor’s – Alistair Robertson com LBV 1965 e 2015

E acrescenta: “O Taylor’s LBV foi inicialmente encarado com cepticismo por alguns membros do comércio de vinho do Porto, mas rapidamente foi um sucesso retumbante, inicialmente no mercado inglês e depois nos outros mercados, tendo actuado como um catalisador para atrair novos consumidores para o vinho do Porto.

Nos anos 60 e 70, os consumidores de vinho, dotados de maior poder de compra, tornaram-se atraídos pelos vinhos do Porto de qualidade mas eram muitas vezes dissuadidos pelo custo do vinho do Porto Vintage e pela necessidade de este ter de envelhecer em garrafa e ter de ser decantado.

Havia muito poucos vinhos intermédios. Ironicamente, a Taylor’s, o mais respeitado produtor de vinho do Porto Vintage, apresentou a solução.

Taylor’s Late Bottled Vintage 1965
Taylor’s Late Bottled Vintage 1965

Nessa altura algumas empresas de vinho do Porto foram adquiridas no todo ou em parte por grandes grupos internacionais de bebidas cuja gama forte de produtos lhes dava acesso privilegiado às cadeias de retalho cada vez mais poderosas. 

Outras empresas, como a Taylor’s e a Fonseca, mantiveram-se firmemente independentes e familiares acreditando que a sua reputação, a sua criatividade e a qualidade de seus vinhos lhes permitiria prosperar no novo ambiente e assegurar o seu futuro a longo prazo.

Adrian Bridge, CEO da Taylor’s, refere: “A Taylor’s, desde o início da sua actividade em 1692, é especialista na comercialização de vinho do Porto premium, sendo actualmente responsável por 1/3 das vendas de categorias especiais e tem sido a locomotiva que tem desbravado o caminho para o vinho do Porto de qualidade no mundo.” E acrescenta: “O lançamento do LBV em 1970, desencadeou um grande aumento da procura por vinhos do Porto de alta qualidade não só na Europa, com a Grã-Bretanha a ser o principal consumidor, tendo alastrando rapidamente o interesse para a América do Norte com os Estados Unidos e o Canadá a tornarem-se clientes muito importantes. Os mercados emergentes da Ásia e da América Latina têm vindo a despertar para os prazeres do vinho do Porto de qualidade, sendo a Taylor’s uma força motriz.

E sublinha: “A crescente procura de LBV levou a Taylor’s a fazer grandes investimentos tendo introduzido métodos e tecnologias paradigmáticas quer na viticultura quer na enologia e construído novos armazéns com condições óptimas para o envelhecimento do LBV, que dotaram a Taylor’s de uma grande flexibilidade para responder às crescentes necessidades do cada vez maior número de mercados. A Taylor’s hoje está presente em 103 mercados.

Esta nova categoria de vinho do Porto garantiu o lugar do vinho do Porto nos hábitos de consumo dos países ocidentais, com o crescente interesse em vinho e gastronomia.

Taylor's - Alistair Robertson eAdrian Bridge com LBV 1965 e 2015
Taylor’s – Alistair Robertson eAdrian Bridge com LBV 1965 e 2015

Também contribuiu para o renascimento do interesse no vinho do Porto Vintage, particularmente na década de 1990, um processo assistido por influentes escritores especialistas em vinho, que ajudaram os consumidores a abraçar as complexidades do mundo dos grandes vinhos em vez de se intimidarem por elas.

Para David Guimaraensdirector Técnico e de Enologia: “O Taylor’s LBV é um vinho fantástico, para o qual são escolhidos os melhores e mais encorpados vinhos provenientes de um só ano. Contrariamente ao Vintage, que é engarrafado após dois anos em madeira e envelhece na garrafa, o LBV é engarrafado mais tarde, permanecendo em grande toneis de madeira cinco anos. Os milhares de toneis onde envelhece o LBV são cuidados por uma excepcional equipa de tanoeiros cujo trabalho é cuidar e mantê-los para que o vinho envelheça sempre em condições óptimas. Durante este período de tempo relativamente longo de envelhecimento em madeira, o LBV amadurece e arredonda, ficando pronto para ser bebido após o engarrafamento, não precisando ser decantado e pode ser consumido durante várias semanas após a abertura da garrafa.

Refere ainda que: “Para garantir a consistência de qualidade e o estilo da casa, a Taylor’s desenvolveu inovações que ficarão para a história do Vinho do Porto e do Douro. Na viticultura, o novo modelo de vinha sustentável implementado pela Taylor’s em 2002 e reconhecido com o prémio BES Biodiversidade em 2009, foi considerado o modelo que deverá tornar-se padrão para a viticultura ambientalmente, socialmente e economicamente responsável na região do Douro. Na enologia a inauguração, em 2000, da Adega da Nogueira, uma das mais avançadas do Vale do Douro, equipada com inovadores tanques de fermentação desenhados pela equipa de produção da Taylor’s, foi fundamental para responder aos níveis de consistência de qualidade e volumes exigidos para as crescentes necessidades do Taylor’s LBV.

E conclui: “O Taylor’s LBV é o final perfeito para qualquer refeição, poderoso e autoritário apresenta aromas elegantes, perfumados e florais, com notas dominantes de fruta vermelha e preta onde a cereja preta tem lugar de destaque. Na boca os sabores a chocolate negro e framboesas e taninos sempre elegantes e bem integrados. Este é o estilo da Taylor’s, um vinho sempre com grande equilíbrio e sofisticação.

A Taylor’s permanece a líder da categoria LBV a nível mundial. 

O LBV é o estilo de vinho do Porto de qualidade mais popular tanto em Inglaterra como no Canadá, representando uma em cada cinco compras de vinho do Porto no Reino Unido e mais de um quarto da totalidade de vinhos do Porto apreciados pelos canadianos.

O Taylor’s LBV 2015 edição comemorativa estará disponível no retalho na Primavera, com o PVP recomendado de 15€.

Informações adicionais

Notas de Prova:

Núcleo preto-rubi profundo e estreito aro vermelho com reflexos roxos. O nariz jovem e intenso exibe aromas muito finos e complexos de frutas pretas e vermelhas. Notas de morango maduro e discretos aromas de ervas são impregnados de uma poderosa perfume de fruta preta da floresta e geleia de groselha. Como é típico da Taylor’s, o nariz é delineado com frutas muito finas e bem focadas. O paladar tem uma densidade e vigor impressionantes, com taninos espessos que enchem a boca, proporcionando estrutura e corpo. Deliciosos sabores a frutos silvestres permanecem no longo final. Como de costume, este LBV partilha o pedigree dos grandes Vintage da Taylor’s, mas é feito num estilo acessível, estando pronto para beber.

Sugestões de Serviço:

Recomendamos servir este vinho, idealmente a uma temperatura entre 16ºC e 18ºC. Dadas as suas particularidades, este vinho poderá ser apreciado durante um alargado período de tempo após a abertura da garrafa. Idealmente, recomendamos beber o vinho num período de dois meses depois de aberta a garrafa.

Sugestões de Acompanhamento

O LBV da Taylor´s é o final perfeito de qualquer refeição. Não precisa ser decantado e deve ser servido num cálice não muito pequeno para que se possa apreciar totalmente a sua rica fruta. É um excelente acompanhamento de queijos intensos, especialmente dos azuis, como o Stilton ou o Roquefort. É também delicioso com sobremesas de chocolate ou frutos silvestres.

O ano vitícola de 2015, no Douro:

O Inverno foi extremamente seco. As chuvas durante a estação de crescimento ficaram também muito abaixo da média, trazendo pouco alívio às condições de secura. As temperaturas entre Abril e Junho foram mais altas que o normal, com temperaturas médias diárias 1,6ºC mais altas do que a média de 10 anos. Registaram-se temperaturas acima de 40ºC em vários dias na última semana de Junho e início de Julho. O pintor chegou particularmente cedo em 2015 em toda a região do Douro, na semana de 29 de Junho, o que preparou o cenário para o que seria uma colheita antecipada. Embora Agosto continuasse seco, as condições climáticas foram muito mais amenas, sem ondas de calor e, como resultado, os cachos foram muito bem preservados. A vindima começou entre os dias 7 e 12 de Setembro, com dias quentes e noites frias, permitindo boas e longas fermentações. Até ao final da vindima, em 3 de Outubro, continuaram-se a produzir vinhos do Porto muito bons.

Sobre a Taylor’s:

A Taylor’s é uma das primeiras e históricas casas de vinho do Porto, tendo sido estabelecida em 1692. Empresa de gestão familiar desde a sua fundação dedica-se exclusivamente à produção de vinhos do Porto de grande qualidade, desde o plantio da vinha e cultivo das uvas à elaboração, envelhecimento e engarrafamento dos lotes de vinhos. O compromisso da família com o futuro do vinho do Porto é também demonstrado na sua determinação em preservar o ambiente único da região do Douro, através da promoção de uma viticultura sustentável e responsável.

A empresa é sobretudo conhecida pelos seus elegantes e longevos vinhos do Porto Vintages, que estão entre os mais reconhecidos, procurados e coleccionáveis, provenientes da emblemática Quita de Vargellas e das Quintas da Terra Feita e Junco.

A casa foi a criadora do LBV (Late Bottled Vintage), um estilo no qual a empresa foi pioneira e do qual continua a ser o principal produtor, tendo ainda sido pioneira no lançamento do Chip Dry, o primeiro Porto Branco Seco e no lançamento do primeiro Vintage Single Quinta.

A Taylor’s é também reconhecida como o mais importante produtor de Tawnies de Idade e possui uma das mais extensas reservas de vinhos do Porto envelhecidos em casco.

%d bloggers like this: