Gastronomia restaurante

D. Afonso o Gordo – Novo ano novos pratos

Novo ano, novos pratos – é segundo este lema que o restaurante de cozinha portuguesa, D. Afonso o Gordo, renova a carta e recebe 2020.

Restaurante D. Afonso o Gordo

O seu percurso profissional não o encaminhava para a gastronomia, mas, inevitavelmente, foi lá parar. A curiosidade pela forma como os ingredientes são trabalhados, da confecção à técnica, sempre existiu, não tivesse sido a cozinha o seu “recreio” na infância e a avó-cozinheira a sua referência. Mas, com a cabeça na gestão, esse interesse foi ficando para segundo plano.

Até ao momento em que surgiu a oportunidade que o lançou, sem rede de apoio, para o centro da gastronomia: Fábio Gomes, ex-participante da última temporada do Masterchef Portugal, assina agora, ao lado de João Fragoeiro, chef residente, os novos pratos do D. Afonso o Gordo.

Fábio Gomes

Entre a imponência dos arcos em tijolinho e as colunas em pedra de um espaço que nos transporta para uma outra época da história de Portugal, Fábio Gomes invocou as suas memórias de infância (a avó, natural de Angola, tinha um restaurante no bairro lisboeta da Graça e era aí que, em pequeno, passava grande parte do seu tempo, enquanto a mãe trabalhava neste negócio familiar) e João Fragoeiro apurou a técnica para, juntos, trazerem novos pratos ao D. Afonso o Gordo.

salada de leitão

Nesta revisão do menu, os sabores de toda a carta foram aprimorados, para que o produto seja tratado e confecionado da melhor forma, tirando o máximo partido da matéria-prima.

folhado de legumes

Exemplo disso, é o facto de a mistura de pimentas que tempera o famoso leitão à Bairrada ser agora comprada a peso e moída em casa, de forma a extrair o máximo sabor desta especiaria.

robado, puré de cenoura e gengibre

Nos pratos novos – as “sugestões do chef” –, há Carapau frito com arroz de tomate (14€), panado em panko, para uma maior crocância; Ensopado de borrego (16€), feito no forno do leitão, a baixa temperatura; Robalo, puré de cenoura e gengibre (17€), uma opção que foge ao tradicionalismo da cozinha portuguesa, mas não à portugalidade dos ingredientes; Bacalhau à brás (14€), com ovo a baixa temperatura e azeitona desidratada; Bochecha de vaca estufada com puré de grão (14€); Perna de pato confitada (17€) com arroz de enchidos, marinada a vácuo por 24h e cozinhado no forno durante a noite; e Risotto de leitão, um prato criativo que surgiu da necessidade de evitar o desperdício desta carne.

carapau frito e arroz de tomate

Também nas sobremesas há novidades de autor: Doce de leitão (8,5€), assim nomeada por se assemelhar à pele crocante do porco, feito de bolo de laranja, chips de maçã verde, caramelo e gelado de pimenta; Pastel de nata (6,5€), uma tarte de nata com gelado de canela; e Arroz doce com texturas de canela (4€).

bacalhau à brás

No D. Afonso o Gordo, a herança do passado dita o menu, mas é no presente da gastronomia nacional que este novo menu melhor se encaixa.

%d bloggers like this: