Gastronomia Restaurante

O Cubismo chegou ao Palácio Chiado

Guardaram-se as melhores formas para o fim: o Cubismo é o último movimento artístico a inspirar um menu e promete ser a cereja no topo do bolo.

O Palácio Chiado presentou os seus clientes, ao longo de 2019, com menus e cartas especiais inspiradas nos mais diversos movimentos artísticos, não fosse ele casa da perfeita simbiose entre arte e gastronomia.

A primeira ementa baseada num movimento artístico foi a Expressionista. Seguiram-se a Impressionista, a Pop Art, a Surrealista e ainda a Dadaísmo.

Chega agora a hora de fechar este ciclo com a cereja no topo do bolo: o Cubismo.

Pablo Picasso foi o fundador e figura maior deste movimento que teve o seu despontar logo no início do século XX.

O Cubismo tratava as formas da natureza por meio de figuras geométricas, representando todas as partes de um objeto no mesmo plano. A representação do mundo passava a não ter nenhum compromisso com a aparência real das coisas.

Para trazer o imaginário cubista à mesa do Palácio Chiado, o seu curador gastronómico, Chef Manuel Bóia, elegeu o camarão salteado com malagueta e alho, a acompanhar com molho sweet chilli e guacamole, para prato do Seed.

Já o pica-pau de novilho entra no conceito entradas e tapas Farrobodó, a acompanhar com mostarda Ancienne e picadinho de pickles.

Para os maiores amantes do peixe, no conceito Azimuth o cubismo faz-se representar por um tataki de atum fresco com arroz asiático salteado com legumes, com molho de soja e sésamo.

No Cutelo, conceito mais dedicado às carnes, a inspiração chega na forma de codorniz confitada e braseada com dauphinoise, ragu de legumes e ovo de codorniz.

Por fim, e porque uma refeição não fica completa sem a sobremesa, a Confeitaria do Palácio Chiado terá o cubo de 3 chocolates, a forma perfeita de homenagear Pablo Picasso.

Informações:

Preço do menu Cubista – 50€/PAX (IVA incluído)

Leia também: