Advertisements
douro Lançamentos vinho do porto

Dirk Niepoort lança Vintage 2017

A observação é uma coisa danada. Quando se nasce no mundo do vinho, e se contam mais de quatro décadas de experiência no meio das vinhas, estas ocultam poucos segredos. Foi o que aconteceu em 2017 – antes de vindimar, Dirk Niepoort prometia ser um ano de excepção. O ano fora invulgarmente quente, com reduzida precipitação, mas a vindima não tivera temperaturas tão elevadas como de costume, e as noites frias ajudaram a todo o processo.

Intuindo que 2017 seria um ano de excepção, Dirk Niepoort concentrou-se especialmente nos vinhos do Porto. Quando provou pela primeira vez os vinhos que viriam a constituir o Vintage 2017, percebeu que tinha em mãos um néctar muito especial – na sua opinião, o melhor Vintage da casa Niepoort que já provara. Dirk Niepoort, quinta geração desta família holandesa a habitar o vale do Douro desde 1842, vai mais longe: “É o vinho do Porto mais próximo da perfeição que já bebi”.

Equilíbrio, harmonia, concentração, qualidade de taninos e frescura são algumas das características associadas a este Vintage. Criado a partir de vinhas velhas, com idades entre os 60 e os 100 anos, no Cima Corgo, o Vintage 2017 é constituído por uvas de vinhas co-plantadas, pisadas a pé, em lagares de granito, com 100% de engaço. Esta crença na mistura de castas, como eram plantadas as videiras antigamente – e que permite sabores únicos e diferentes de terroir para terroir – é uma das apostas de longa data de Dirk Niepoort.

A decisão de iniciar a vindima cedo, no momento ideal de maturação, permitiu colher as uvas em condições ideais de acidez natural. A vindima na adega do Vale de Mendiz começou a 24 de agosto, em perfeitas condições climáticas, e as últimas uvas foram colhidas a 26 de Setembro. O vinho ficou a envelhecer em tonéis no Douro, durante o inverno, e foi depois movido para as adegas em Vila Nova de Gaia, em Março de 2018. No fundo, passou dois anos em tonéis velhos.

O resultado, em termos de bouquet, é um nariz tímido, austero e explosivo, que depois se mostra com incrível concentração, potência, taninos marcantes, mas camuflados (e nunca por motivos de sobrematuração). É um vinho com uma frescura única, rara num Porto – uma combinação poderosa e elegante, com um final de boca ousado, seco e longo. Pela sua estrutura e corpo, o Vintage 2017 anuncia-se como um vinho com grande potencial de guarda.

Como alguns outros Vintage da Niepoort, o Vintage 2017 promete ficar na História – ao lado de outros grandes como 1927, 1942, 1945, 1955 ou 1970. Equilíbrio será talvez a palavra-chave quando falamos desta casa – entre a quantidade de taninos, doçura e álcool. Poderosos e ricos, harmoniosos e elegantes, os Vintage da casa Niepoort roçam a perfeição. Este, de 2017, é voluptuoso e generoso, com um longo final de boca. Serão engarrafadas 40 000 garrafas deste Vintage, com um PVP de 90€, a partir de 25 de julho.

Advertisements

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: