Petiscar é com Vítor Sobral

Vítor Sobral é o chef que se segue na colecção oferecida pelo jornal Expresso, “Receitas para Partilhar”, que elegeu 4 chefs para ajudar na arte de bem comer e de bem receber. Na ementa do semanário, deixou-se um lugar na mesa de família para as “Almoçaradas” (chef Henrique Sá Pessoa), convidou-se o chef Vítor Sobral para as “Petiscadas”, delegou-se no chef Kiko Martins a tarefa das “Jantaradas”, e deu-se à chef Marlene Vieira a missão de adoçar a boca do leitor com as “Doçarias”.

Nas “Petiscadas” que adquirir no sábado com o Expresso, encontrará inúmeras receitas para experimentar em casa. “Carapau marinado com figos”, “Casco de sapateira real”, “Alheira com Maçã e ovo”, “Camarão Tigre na Chapa”, “Vieiras Coradas” ou “Chamuças de Perdiz” são apenas algumas das receitas que vai querer replicar para impressionar os amigos. Nessa mesma semana, é possível ler uma entrevista de Vítor Sobral na revista do Expresso (de que foi capa da E em 2018).

“Para mim, é uma honra colaborar com o Expresso, que considero um jornal de referência, na promoção da nossa gastronomia, e contribuir desse modo para a qualidade da alimentação dos Portugueses”, afirma Vítor Sobral.

Aos 52 anos, o percurso de Vítor Sobral confunde-se com a história da gastronomia portuguesa dos últimos 30 anos. Cozinheiro muito antes de os chefs estarem na moda, defendeu sempre os produtos nacionais, as tradições no que têm de mais nobre e a defesa nacional da arte de bem comer. Em 1999, foi homenageado Chef do Ano pela Academia Portuguesa de Gastronomia, e em 2006, recebeu o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique, pelo trabalho de divulgação e promoção que fez de Portugal pelo mundo.

Três décadas mais tarde, Vítor Sobral juntou à profissão de cozinheiro a de empresário. É o chef português mais presente no mundo, com restaurantes em dois continentes. Depois da sua primeira “Esquina”, a Tasca da Esquina (aberta em 2009), em Lisboa, inaugura dois espaços homónimos no Brasil, em São Paulo (2011) e João Pessoa (2014), este último entretanto fechado. Em Campo de Ourique, somou-lhe a Peixaria da Esquina (2015). Em 2014, abriu a Taberna da Esquina em S. Paulo, e, em 2016, a Padaria da Esquina. Nesse mesmo ano, inaugurou o Balcão da Esquina, no Mercado da Ribeira, em Lisboa. Em 2018, abriu as portas da tão aguardada Padaria da Esquina, em Campo de Ourique, e poucos meses depois no Mercado de Alvalade. E acha que ele vai ficar por aí…?

Advertisements

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.