Casas históricas de Vinho do Porto declaram o Vintage 2017

As quatro casas históricas de Vinho do Porto do grupo The Fladgate Partnership – Taylor’sFonsecaCroft e Krohn – anunciam a sua decisão de declarar o Vintage 2017. Para além destes quatro Vintage clássicos, haverá ainda dois engarrafamentos de vinhas velhas.

Taylor’s irá engarrafar o Vargellas Vinha Velha 2017, o muito raro Vintage produzido a partir das vinhas mais antigas da Quinta de Vargellas. Este será apenas o oitavo lançamento do Vargellas Vinha Velha. Há outra excelente notícia para os entusiastas de vinhos raros. Pela primeira vez, a Croft vai lançar um Vintage proveniente das vinhas velhas da magnífica Quinta da Roêda. Baptizado como Sērikos, palavra grega que significa seda, o vinho presta memória ao período pós-filoxera da Quinta da Roêda, altura em que a devastação da vinha levou à plantação de amoreiras para produção de seda. Este extraordinário Vintage exprime a essência das históricas parcelas de vinha velha da Roêda. Em ambos os casos, as quantidades serão muito reduzidas, sendo a sua comercialização sujeita a alocação.

Adrian Bridge, Director-Geral do grupo The Fladgate Partnership, comenta: “Após o longo intervalo que seguiu a declaração do Vintage 2011, é com grande satisfação que vemos os muito aclamados Vintage 2016 serem sucedidos pelos excepcionais vinhos de 2017. Todas as nossas casas e as suas quintas produziram vinhos extraordinários que impressionam pela sua densidade, profundidade e potencial aromático.” E acrescentou: “O ano de 2017 foi um ano absolutamente excepcional para as vinhas velhas. Para além do Vargellas Vinha Velha, é com grande entusiasmo que anunciamos o lançamento do Sērikos, um Vintage que nasce das videiras mais antigas da Quinta da Roêda da Croft.”

O Enólogo e Director Técnico do grupo, David Guimaraens, comentando o ano vitícola, disse: “O ano de 2017 será recordado pelas condições muito secas durante todo o ciclo de crescimento e maturação e pela vindima muito precoce. O calor durante o mês de Agosto não foi excessivo e, embora a seca e os baixos rendimentos tenham resultado em mostos muito densos, os vinhos apresentavam um equilíbrio notável. Há uma geração que a vindima não começava tão cedo. A última vez que esteve tão adiantada foi no lendário Vintage de 1945.” Relativamente aos vinhos, comentou: “As uvas perfeitamente maduras, com as suas películas muito espessas, produziram vinhos densos, muito bem estruturados e profundos, exibindo grandes reservas de aroma. Alguns vinhos apresentam uma agradável dimensão mineral que confere um toque de elegância e sobriedade ao frutado muito intenso e poderoso.”

Os Vintage 2017 das quatro casas, bem como os dois Vintage de vinhas velhas, vão estar disponíveis nos principais mercados no Outono.

Advertisements

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.