Gastronomia restaurante carta

Carta e imagem renovadas marcam novo capítulo do Pasta Non Basta

Desde 2017 a tornarem Lisboa mais italiana, os restaurantes Pasta Non Basta evoluem agora para um outro nível. Uma imagem mais cuidadamassa fresca produzida no restaurante e uma carta mais concentrada e com novos sabores vêm demonstrar o inconformismo da marca, que se lhe agarra ao nome. A única coisa que se mantém é busca incessante pela qualidade!

A grande novidade é que a massa passa a ser produzida no restaurante. Pappardelle, Ravioli, Gnocco, Fettucinesão algumas das que fazem parte da oferta actual. “Desde que abrimos o primeiro espaço, a nossa premissa sempre foi trazer comida italiana genuína e de qualidade para Lisboa. Ao produzirmos as nossas próprias massas, melhoramos a qualidade e passamos a produzir tudo em casa”, explica Frederico Seixas, um dos sócio do grupo. António Oliveira e Silva, também da equipa Non Basta, acrescenta: “depois de mais um ano em experiências e processos, apresentamos agora as nossas massas frescas. Esta nossa estratégia de sermos cada vez mais caseiros será reforçada em breve com a nossa horta, cujas primeiras sementes já foram lançadas, e com as nossas viagens a Itália, onde iniciámos o processo de compra directamente aos fornecedores do campo”. No futuro, a equipa pretende ter à venda algumas massas no restaurante, para que os mais corajosos que aventurem nas suas próprias confecções em casa.

Mas voltemos às viagens da equipa, que António aponta como estarem na génese da singularidade e da autênticidade do restaurante. É nos pequenos produtores e na matéria-prima que lá encontram que assenta “a verdadeira tradição italiana”, que querem trazer para Lisboa. “Só podia ser assim. É a explicação de o nosso projecto ser tão genuíno”, explica. A isto, acresce o facto de procurarem sempre localizar os seus restaurantes em bairros familiares, muito lisboetas mas sem estarem nas zonas mais concorridas, onde ainda possa haver tempo para nos demorarmos à mesa. E o Pasta Non Basta está cada vez mais convidativo!

Mas e o menu? O que é que se passou com o menu?
O menu está mais… concentrado. Menos referências e maior intensidade de sabor mantêm a aposta na comida italiana caseira. Nos Antipasti, há três novas Bruschettas: Parma e Burrata (8€), Gorgonzola e Speck (7€), e Putanesca (7€), com tomate semi-seco, tomate rama, alcaparras, anchovas, azeitonas e malagueta. Nas pizzas, a grande novidade está na Vegetariana (11€) agora totalmente vestida de verde, com base de courgette, mozarela fiordilatte, provola, tomate cereja e espargos. A San Daniele assume o nome do presunto a que dá palco, e passa a chamar-se Parma (13€), que tem ainda tomate, mozarela fiordilatte e tomate cereja.

É nos Primi que temos mais novidades e que podemos provar as massas frescas: a Bolognese passa a ser com Pappardelle (10€), entra o Troffie al Pesto (12€), com massa fresca al dente, pesto siciliano e amêndoa torrada, e o Gnocco alla Sorrentina (9€), com molho de tomate, mozarela de búfula DOP e manjericão. Há ainda o novo Fettuccine de camarão (12€), e o Ravioli della Casa (14€), com ricota de búfalo e hortelã. As boas notícias não acabam aqui: o risotto está de volta ao restaurante na versão Barbabietola e arancia (13€), com arroz carnaroli, beterraba e laranja. Nos Secondi, o Pollo al Cereale Crocante (13€), em que o frango panado em cereais chega com grelos, anchovas e malagueta é imperdível. 

Nos cocktails chegam o St. Germain Spritz (8€), também disponível a jarro (20€), em que ao destilado francês se adiciona vodka, prosecco e San Pellegrino, o Campari Spritz (8€), com campari, prosecco e ginger beer, e o Moscow Mule (8€), com vodka (ou rum), lima e ginger beer. Nos vinhos Rosso e Bianco também há novas referências nacionais e italianas, e ainda um vinho exclusivo do restaurante: o vinho da casa, Arrisca, é alentejano, casa na perfeição com sugestões tradicionalmente italianas e pode ser provado apenas no Pasta Non Basta.

A acompanhar esta nova oferta, há mudanças nos espaços dos restaurantes, que estão agora ainda mais confortáveis e com um bom gosto ainda mais à vista: a luz está mais certeira e adequada, fruto da acção da designer de iluminação Joana Forjaz, e os detalhes italianos continuam parte notória da decoração, agora de forma ainda mais apelativa e elegante, depois da intervenção de Inês Moura no look and feel dos restaurantes.

O Grupo Non Basta reforça e aprimora assim a sua oferta ao público, com a qualidade imprescindível inerente a tudo o que fazem e com o ambiente convidativo e familiar que transpõem para os projectos que edificam. Enquanto se dedicam a trazer à cidade novos recantos onde possamos provar a comida italiana mais tradicional (sim, há uma nova trattoria prevista para breve..!), renovam a oferta dos espaços já existentes e comprovam que visitá-los apenas uma vez “Non Basta”.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.