As taças de vinho influenciam o aroma e o paladar da refeição

A PMC Wine & Food, empresa dedicada à comercialização de vinhos nacionais incluindo as suas próprias marcas Malandra e Jaburu, divulga as dicas que o ajudam a perceber a importância das diferentes taças de vinho. O detalhe importa e mais que o aspeto visual de uma mesa com os seus vários copos, pratos e talheres, as taças de vinho afetam a etiqueta mas também o paladar e olfato.

A taça adequada permite-lhe sentir melhor o aroma e o sabor dos vinhos servidos. As taças foram desenvolvidos para conduzir o vinho para a boca e o nariz de maneira a realçar cores, aromas e sabores do fermentado, o que influencia o resultado. Para quem duvida, basta testar. Um paladar minimamente aguçado sentirá a diferença ao beber um mesmo vinho em taças completamente diferentes. A PMC Wine & Food divulga as dicas o ajudarão a melhorar o paladar da refeição.

O vinho tinto: a taça escolhida deve ter o corpo separado da haste, para poder ser segura pela haste e não pelo bojo (corpo) da taça, para não aquecer o vinho com a nossa temperatura corporal. Já a abertura do copo é mais estreita, para manter o aroma do vinho. O vinho tinto precisa de mais oxigénio, por conta disso o bojo é maior. O formato também é ideal para que a bebida possa “dançar”. Por esse motivo, também é importante lembrar que ela deve apenas ser preenchida até um terço de sua capacidade. As taças de vidro fino incolor ou de cristal permitem apreciar a tonalidade do vinho, o seu corpo.

O vinho branco: comparada com as de vinho tinto, são mais pequenas e não possuem o bojo grande. O vinho branco exala os seus aromas com mais facilidade e não necessita ter a abertura mais afunilada que o corpo. Para vinhos brancos as taças têm o corpo menor do que as para vinho tinto. Primeiro, porque o vinho branco precisa ser consumido em temperaturas mais baixas e, portanto, num copo mais estreito permite menos trocas de calor com o ambiente. Segundo, porque precisa que sejam realçadas as notas de frutas. A aba estreita proporciona melhor fluxo de aromas.

O vinho rosé: os vinhos rosés possuem os taninos dos tintos, mas os aromas dos brancos. Por esse motivo, a taça costuma ser menor que a dos brancos, mas com bojo maior. Ela deve acentuar a acidez do vinho, equilibrando a sua doçura. Se não tiver uma taça específica para rosés pode ser usada uma para vinho branco.

Os vinhos doces e fortificados: possuem um bojo pequeno, uma vez que são consumidos em quantidades menores. Também são mais estreitas na parte superior. O seu design ajuda a conduzir o fluxo da bebida diretamente para a ponta da língua, região onde os sabores doces são mais percebidos.

Agora pode apreciar um bom vinho, seja tinto, branco ou rosé, os seus aromas e o seu paladar, de acordo com a taça que escolher.

Advertisements

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.