documentário Gastronomia Itália

Série documental ‘Taste of Italy’

15OscarFarinetti.jpg

No dia 10 de novembro, o chef Tanka Sapkota foi investido, em Alba, Itália, com o grau de “Cavaleiro das Trufas de Alba e dos Vinhos da Região de Alba”, uma distinção que coube a vinte pessoas no mundo inteiro – e que em Portugal apenas lhe pertence. Atrás dele, a registar o seu nervosismo, estavam o realizador Tiago P. De Carvalho e o produtor Duarte Neves, que durante três semanas o acompanharam naquele país a gravar o documentário “Taste of Italy”, que estará disponível para transmissão televisiva no verão de 2019.

02Eataly.jpg

A série documental ilustra a viagem de Tanka Sapkota por Itália, país onde estudou, entre 2008 e 2009, na Escola Gambero Rosso, em Roma. Ali, o chef nepalês partiu “em busca dos segredos tradicionais italianos”. Com a ajuda preciosa de um grupo de pesquisa de jornalistas gastronómicos em Itália, do qual se destaca Federico Viola, director da Wine Italia e colunista no “La Repubblica”, Tanka Sapkota vai revelar segredos escondidos em várias zonas do país.

18cacadordetrufas.jpg

Enquanto chef especializado em gastronomia italiana, é para mim um prazer redobrado dar a conhecer ingredientes e receitas que são autênticos tesouros e que existem por toda a Itália, e ser um embaixador de outros produtos de excelência para lá da trufa branca de Alba”, considera Tanka Sapkota.

05Nona.jpg

No primeiro episódio, que já foi rodado no Piemonte, descobrem-se ingredientes ímpares como a trufa branca de Alba, ou pratos como o refogado de coelho. Nas filmagens seguintes, em Nápoles, provar-se-á a salada de vísceras de porco, e revelam-se receitas como a “fonduta”, um prato que é uma autêntica explosão de sabores com vários queijos, ou o “plin”, um ravioli feito com massa fresca e recheio de carne, que é beliscado nas extremidades – o que lhe dá o nome. A mesma receita tradicional é filmada no interior de uma casa numa aldeia remota, pelas mãos de uma aldeã italiana – ou no restaurante do chef estrelado Ugo Alciati.

Ao longo de toda a série, Tanka Sapkota faz uma imersão no país real, aprende e cozinha com os locais, emociona-se e alegra-se com o que vai aprendendo. E fala em italiano, o tempo todo. O mais surpreendente do documentário é talvez o oscilar entre o restaurante 3 Estrelas Michelin como o do chef Enrico Crippa e a descoberta das raízes e dos segredos tradicionais, em casa das “veras nonnas italianas”. Isto acompanhado por belíssimas imagens de paisagens, e a sensação de estar a seguir a aventura de um chef que se transforma em criança perante a alegria da descoberta. Porque a sede de aprender nunca se esgota, o chef Tanka – que foi considerado “Empreendedor do Ano 2016” pela AHRESP – aproveitará estas novas aprendizagens para servir ainda melhor os seus clientes nos seus espaços gastronómicos em Portugal.

%d bloggers like this: