Advertisements
clima estudo projeto

Projeto europeu estuda ameaças climáticas no setor agroalimentar

A Sogrape Vinhos foi a anfitriã da 1ª Assembleia-Geral do projeto MED-GOLD, uma iniciativa europeia que que visa identificar as potenciais ameaças das mudanças climáticas para os três principais setores agroalimentares da bacia do Mediterrâneo: a vinha, o olival e o trigo duro. 
No âmbito desta reunião foi identificada a necessidade de envolver universitários da área agroalimentar no desenrolar dos trabalhos de investigação no sentido de procurar garantir uma disseminação transgeracional do valor das inovações do projeto. Assim, os parceiros do projeto, reunidos em Vila Nova de Gaia, definiram ações concretas para envolver jovens europeus no projeto, seja através de webinários ou escolas de Verão, ou até mesmo através do website do projeto, disponível em https://www.med-gold.eu/
Na análise de António Rocha Graça, Diretor de I&D e representante da Sogrape Vinhos no projeto, “o balanço da primeira Assembleia-Geral é muito positivo, pois revelou que após um primeiro ano de interação, os parceiros MED-GOLD estão muito envolvidos na discussão e identificaram claramente os desafios a resolver, comuns aos três setores agroalimentares do projeto (azeite, vinho e massas)”. Um dos desafios identificados pelos parceiros para o próximo ano foi a necessidade de tornar claro para os utilizadores, desde já, o valor aportado pelas soluções que irão ser desenvolvidas para os novos serviços climáticos. Por outro lado, será necessário adaptar os novos serviços às necessidades específicas dos três setores envolvidos e, dessa forma, melhor contribuir para os objetivos estratégicos da União Europeia com este projeto. 
Recorde-se que o projeto MED-GOLD pretende recolher, avaliar e caracterizar séries de dados históricos sobre o clima e as colheitas, que hão de servir de base para a criação de modelos matemáticos, a partir dos quais se poderão fazer previsões climáticas focadas na agricultura, em prazos desde seis meses a mais de trinta anos. Com a informação gerada, gestores, diretores e técnicos serão capazes de tomar decisões sobre a plantação de vinha, a escolha de variedades de uvas e porta-enxertos ou o planeamento operacional para cada campanha, bem como aprovisionamento, vindimas e outros aspetos. 
Nas palavras de Luigi Ponti, da agência italiana para o desenvolvimento sustentável (ENEA), e coordenador científico do projeto, “o MED-GOLD é o maior projeto europeu para aumentar a resiliência das cadeias agroalimentares”, o que implica “valorizar o enorme volume de dados” que os sistemas de observação terrestre recolhem hoje em dia. Segundo Nube González-Reviriego, investigadora do Barcelona Supercomputing Center – Centro Nacional de Supercomputación (BSC-CNS) e co-responsável pelos trabalhos científicos ligados ao setor vinícola no MED-GOLD, “as previsões climáticas para os próximos meses, estações e até projeções para o clima nos próximos 20 ou 30 anos, são essenciais para o desenvolvimento de ferramentas que apoiem a tomada de decisões”. 
Financiado em cerca de cinco milhões de euros pelo programa Horizonte 2020 da Comissão Europeia, o projeto MED-GOLD conta com a participação da Sogrape Vinhos na qualidade de parceiro do consórcio, sendo o único representante português e a única empresa do setor vitivinícola mundial. Espanha participa também no projeto com a cooperativa andaluza DCOOP, no setor da olivicultura, e Itália com a empresa alimentar Barilla, para trigo duro. Lançado em dezembro de 2017, este é um projeto a quatro anos e pretende-se que todas as ferramentas desenvolvidas fiquem disponíveis para toda a comunidade de utilizadores, esperando-se os primeiros resultados para final de 2020. 
Ao longo dos próximos quatro anos do projeto MED-GOLD, a Sogrape Vinhos contribuirá para orientar o conhecimento dos parceiros científicos da área da climatologia para a criação de serviços que permitam o acesso a dados históricos, não só climáticos (recolhidos pela sua rede de estações meteorológicas e junto de parceiros institucionais como o Ministério da Agricultura ou o IPMA), mas também de cultura (registos de datas de vindima, estados fenológicos e de pressão de doenças da videira). Além disso, a Sogrape Vinhos fará uma avaliação, com os utilizadores finais (técnicos de viticultura e enologia), dos serviços criados para determinar o valor que acrescentam quando comparados à situação atual.
Advertisements

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: